Fascista do PP governante em Beade ameaça a vizinhança com "começar a dar lenha"

4 de Maio de 2005

O presidente da Cámara do concelho de Beade, na comarca do Ribeiro, ameaçou abertamente a vizinhança que nos últimos seis meses protagoniza um protesto ante a falta de água potável que sofre umha parte d@s habitantes do citado concelho.

Seném Pousa (30 anos à frente da Cámara municipal), conhecido franquista do Partido Popular que anualmente organiza missas dedicadas aos fascistas espanhóis Francisco Franco e José Antonio Primo de Rivera, afirmou literalmente que, se nom abandonam a ocupaçom da sede municipal e restantes acçons reivindicativas de um serviço fundamental como é a água potável, "vou reunir a minha gente para dar lenha. Estamos prontos para brigar".

A Guarda Civil, habitual sustento do presidente da Cámara nas suas provocaçons de perfil fascista, fijo agora de porta-voz de Pousa, comunicando à vizinhança revoltada que o presidente da Cámara polo Partido Popular tenciona organizar contra-manifestaçons, e o próprio Seném Pousa advertiu da hipótese de activar indeterminados mecanismos de violência para sufocar as reivindicaçons vicinais.

As vizinhas e vizinhos atingidos anunciárom que as mobilizaçons continuarám até ficar resolvido o problema de subministraçom de água potável ao conjunto da vizinhança do concelho.

Ao contrário do que noutros casos de que informamos nestes dias, neste a Guarda Civil nom fala de "incitaçom de factos delitivos" nem de "associaçom ilícita" para enfrentar as ameaças abertas do dirigente do PP, que acrescentou ao já dito que "vai haver mais do que palavras, e depois a ver quem se responsabiliza do que acontecer. Já o dixem às forças da ordem, vai terminar mal, sim, porque eles querem". Fazendo frente à vizinhança, Pousa insultou directamente alguns dos concentrados ante a Cámara municipal, localizada numha praça denominada "del Caudillo".

Longe de agir contra a atitude do fascista Seném Pousa, a Guarda Civil está a dar cobertura à sua actuaçom intimidatória contra o povo de Beade.

 

Voltar à página principal

 

 

Momento em que Seném Pousa insulta a vizinhança concentrada ante a sede municipal de Beade (Ribeiro)