Fala Ceive exige ao Instituto de la Lengua de Castela e Leom reconhecimento para o galego

22 de Junho de 2005

A Associaçom Cultural Fala Ceive do Berzo dirigiu-se ao Instituto de la Lengua de Castilla y León, por ocasiom da realizaçom de umha série de cursos formativos por parte dessa instituiçom, alguns deles no Berzo, com o intuito de que seja reconhecida o carácter galegófono da comarca berziana.

Começa o seu escrito Fala Ceive lembrando que na actualidade, no território administrado baixo a Comunidade Autónoma de Castela e Leom (CACyL) existem em várias línguas em contacto, e em conflito, entre elas a língua galega, presentes nas comarcas do Berzo, a Cabreira e a Seabra, reclamando portanto que as administraçons públicas se impliquem na protecçom e fomento das outras realidades lingüísticas nom espanholas.

Os Estatutos do Instituto de la Lengua de Castilla y León nom fam referência à realidade lingüística desta comunidade autónoma, falando única e exclusivamente da língua espanhola, como se essa fosse a única existente em todo esse extenso território, e ignorando a realidade das comarcas do Berzo, a Cabreira ou a Seabra. A política cultural do ILCyL incentiva unicamente o espanhol, discriminando injustamente os galegofalantes berzian@s, excluindo o galego (e também o leonês) das suas actividades periódicas. Fala Ceive considera que já som horas de que o Director do citado Instituto supere a política de subjectivas declaraçons públicas de boas intençons e demonstre o seu activismo em prol do idioma galego com factos concretos e de forma activa.

O idioma galego está reconhecido expresamente no artigo 4.2 do Estatuto de Autonomia de Castela e Leom, estabelecendo que "gozarám de respeito e protecçom a língua galega e as modalidades lingüísticas nos lugares em que habitualmente se empreguem". Qual é portanto o motivo para que nom se inclua nengumha referência ao galego nos próprios Estatutos do ILCyL? Nom está esta instituiçom, pergunta Fala Ceive, também obrigada a respeitar o estipulado a nível lingüístico polo Estatuto de Autonomia de Castela e Leom? Lembra ainda a associaçom berziana que o ILCyL é financiado polas principais administraçons públicas desta comunidade autónoma, entre elas deputaçons como a de Leom e concelhos como o de Ponferrada.

Mais um ano, o ILCyL apresenta umha série de cursos de verao a realizar no Berzo, nesta ocasiom sobre o castelo de Ponferrada. Mas, mais umha vez, a língua galega será a grande ausente destas actividades. Fala Ceive reclama que o Insituto de la lengua organize um curso sobre a presença histórica e actual da língua galega no Berzo, assim como umha analise sobre as línguas minorizadas da CACyL.

 

Voltar à página principal