CIG convoca mobilizaçom contra a Directiva Bolkestein na Corunha

10 de Fevereiro de 2006

Será na próxima terça-feira, dia 14 de Fevereiro, polas 11h30 na praça da Palhoça. A Confederaçom Intersindical Galega (CIG) convoca umha manifestaçom na Corunha contra a bateria de medidas "flexibilizadoras" do mercado laboral previstas pola Comissom Europeia na chamada Directiva Bolkestein. Um eufemismo que anuncia mais precarizaçom das condiçons laborais nos territórios da Uniom Europeia.

A mobilizaçom coincide com o dia em que o Parlamento europeu discutirá esse plano, oficialmente denominado Directiva Europeia de Serviços, que será acompanhada de umha outra Directiva para a Ordenaçom do Tempo de Trabalho, normativa com aprovaçom prevista para o fim deste ano que irá impor novas restriçons em matéria de direitos, consoante o espírito neoliberal da UE desenhada na nova Constituiçom.

Entre as medidas "flexibilizadoras" contidas no pacote, salienta a possibilidade de umha empresa de serviços de qualquer país da UE se instalar noutro país membro, aplicando as condiçons laborais, ambientais, fiscais, etc, do país de origem. Fica assim a porta aberta a que as condiçons mais negativas existentes em determinados territórios sejam exportadas a outros, passando por cima das conquistas e as legislaçons mais favoráveis para a classe trabalhadora do país em que se instalam. Ou até que, como a CIG já advertiu, umha empresa galega poda criar umha filial em países com normativas laborais mais agressivas para @s trabalhadores/as e depois voltar a instalá-la na Galiza com as regras draconianas daquele país. Estende-se assim o dumping social, oficial e eufemisticamente denominado "deslocalizaçom".

NÓS-UP apoia convocatória sindical

NÓS-Unidade Popular já anunciou o seu apoio à iniciativa mobilizadora da CIG, enquadrando as reformas previstas no mercado de trabalho europeu no significado da Constituiçom Europeia submetida a referendo há agora um ano. Com efeito, dentro do embrulho de luxo com que quigérom aliciar-nos na altura, agora começamos a ver o conteúdo real do texto aprovado, com o que NÓS-UP denomina "receitas próprias do neoliberalismo mais duro e intransigente tenhem como objectivo procurar endurecer ainda mais as condiçons de trabalho, a exploraçom que padecemos as trabalhadoras e trabalhadores, para alargar ainda mais a taxa de ganho e os privilégios do burguesia".

A formaçom independentista e socialista afirma que "as razons contra a Constituiçom Europeia defendidas por NÓS-UP e o conjunto da esquerda independentista nom eram fantasias radicais, estám sendo plasmadas polo Capital". Daí que apoie "voltar a sair à rua, explicar nos centros de trabalho em que consiste a escala europeia, estatal e nacional, os novos planos do Capital, quais som as medidas que estám a preparar contra nós, adoptar todas as formas de pressom oportunas contra o Governo espanhol e a Junta". O comunicado na íntegra pode ser consultado no web nacional de NÓS-Unidade Popular.

Quanto a nós, o nosso partido nom quer deixar de apoiar publicamente a convocatória, que esperamos seja um primeiro passo numha estratégia mobilizadora contra a ofensiva que o grande capital europeu nos prepara.

 

Voltar à página principal

 

 

O ex-comissário europeu holandês Fritz Bolkestein é o pai da ideia que estenderá o dumping social no interior da Uniom Europeia, dentro de umha anti-popular estratégia neoliberal