Polícias espanhóis detenhem e espancam militante de BRIGA em Ponte Vedra

26 de Abril de 2005

Um militante da organizaçom juvenil independentista BRIGA foi impunemente introduzido num carro policial e espancado por agentes espanhóis, na cidade de Ponte Vedra. Estamos ante mais um exemplo das formas de actuaçom da "democrática" Polícia espanhola, que tem bem claras as suas funçons no que a repressom da dissidência política di respeito. Reproduzimos a seguir o comunicado difundido por BRIGA para denunciar estes factos.

De Primeira Linha em Rede expressamos a nossa plena solidariedade com o companheiro agredido e com o conjunto de militantes de BRIGA, esperando que também o Governo municipal pontevedrês exija responsabilidades por esta agressom a um vizinho do concelho.

Militante de BRIGA é detido e espancado pola Polícia espanhola em Ponte Vedra

A passada noite do 25 de Abril o militante de BRIGA J. M. Outeiro circulava pola Avenida da estaçom de autocarros quando um carro da polícia nacional espanhola aparcou ao seu lado. Dous agentes saírom do veículo pedindo-lhe a documentaçom com maneiras agressivas, sem explicar em nengum momento qual era a razom desta atitude.

Ao se enteirarem estes de que o nosso companheiro nom levava o bilhete de identidade enriba, procedêrom a algemá-lo e introduzi-lo no carro. Umha vez lá, um dos polícias começou a insultá-lo e abaneá-lo, depois do qual tirou a porra do cinto golpeando com ela na face ao nosso companheiro. Logo foi conduzido à comissaria, sendo posto em liberdade duas horas depois.

Há umhas semanas informávamos na nossa web nacional da cruzada que a direita espanholista desta cidade está a levar a cabo contra BRIGA e a sua actividade política. Ontem, os mercenários a soldo dos directores dessa cruzada aproveitárom para exercerem a impunidade, para desempenharem a funçom que tivêrom antes, durante e depois da Transiçom espanhola: A de cans de guarda, matons a soldo que som quem de golpearem um jovem indefenso e algemado sem nengum tipo de remorso. Estes covardes ainda tenhem a desfachatez de autodenominar-se "protectores do cidadao", tratando de vender-se a si mesmos como os novos herois do século XXI, com a cumplicidade de concelhos e organizaçons políticas, tanto da direita como da pretendida esquerda.

Nom podemos esquecer que o governo de Lores e do BNG pontevedrés som tam responsáveis das actuaçons da sua polícia como a polícia mesma. As reiteredas condenaçons à violência que agora som a bandeira do autonomismo nom parecem ter a mesma importáncia quando é a juventude da esquerda independentista a que a sofre. Que tipo de governo que se diz democrático oculta estes factos, desculpa o inexcusável comportamento das suas "forças de ordem" que se amparam na legalidade espanhola e agem como querem sem medo às repressálias? Por outra banda, que tipo de protecçom pode dar um corpo que se dedica a golpear jovens sem razom algumha, que age com essa monstruosa aleatoriedade?

BRIGA nom ficará em silêncio enquanto os direitos da juventude trabalhadora som pisados e enlamados: Agirá em consqüência ante as agressons sofridas, denunciará ali onde se dêm as injustiças e as agressons que conformam a política estratégica da polícia. Contra a sua cultura do medo e da coerçom, a organizaçom está disposta a dar a face e nom recuar ante os direitos inalináveis da juventude, que nom existem além do seu reconhecimento formal em instituiçons e tertúlias, como umha realidade virtual da que todo o mundo fala mas que ninguém vê.

NOM À REPRESSOM DA ESQUERDA INDEPENDENTISTA!!!

SOLIDARIEDADE COM @S REPRESALIAD@S!!!

NA DEFESA DOS DIREITOS DA JUVENTUDE!!!

 

Voltar à página principal

 

 

A agressom aconteceu no interior de um carro da Polícia espanhola, nas redondezas da estaçom dos autocarros de Ponte Vedra