Guarda Civil di agora que desmantelou a entidade juvenil independentista BRIGA

4 de Junho de 2005

Diversos meios publicam hoje a notícia do suposto "desmantelamento" da organizaçom juvenil da esquerda independentista, após a detençom de cinco militantes nos últimos dias, dentro do que denomina "Operación Cacharrón". A "informaçom" difundida pola Guarda Civil é elaborada consoante os padrons dos comunicados com que esse organismo repressivo do Estado espanhol costuma noticiar os golpes a organizaçons armadas ou clandestinas. Com ánimo intoxicador, difunde umha imagem que nom corresponde com as características de BRIGA, entidade enraizada no seio do movimento juvenil galego e que trabalha abertamente em defesa dos direitos da juventude trabalhadora galega.

No comunicado da Guarda Civil reitera-se a imputaçom de "danos, associaçom ilícita, injúrias às Forças Armadas e incitaçom à comissom de supostos ilícitos", dentro da estratégia política da "libertaçom do sistema opressor dos estados capitalistas". Para além dos atropelamentos já feitos nestes dias, na notícia publicada cita-se a afirmaçom da própria Guarda Civil segundo a qual o operativo continua aberto e nom se descartam novos arrestos. Assim, o delirante comunicado da organizaçom armada espanhola afirma a vontade de conseguir clausurar judicialmente o web nacional de BRIGA porque, afirma, "incita à comissom de supostos delitivos". Qualquer que visitar o citado sítio, poderá confirmar a falácia de semelhantes acusaçons.

Tal e como levamos informando nos últimos dias, a Guarda Civil protagonizou umha campanha repressiva contra BRIGA a partir da intensa campanha antimilitarista desenvolvida pola juventude independentista e revolucionária em resposta ao desfile de 29 de Maio. Nom foi BRIGA a única entidade popular que rejeitou activamente a presença militar espanhola nas ruas da Corunha; porém, o Estado espanhol respondeu em chave repressiva e com especial dureza a legítima actuaçom juvenil, deixando em evidência as graves carências das supostas "liberdades" existentes no "Estado de direito" espanhol.

O ataque à livre expressom e as detençons irregulares dos últimos dias vem-se agora complementados pola difusom de informaçons que criminalizam abertamente a organizaçom juvenil independentista BRIGA, chegando a afirmar a falsidade de ter sido "desmantelada".

BRIGA avalia e responde no seu web a campanha repressiva destes dias, afirmando que estamos ante "um ataque intolerável nom só a BRIGA, mas a qualquer organizaçom, colectivo e pessoa individual que de postulados anti-sistémicos defenda um outro modelo de sociedade e de mundo, em que a actividade política juvenil nom seja perseguida, onde sermos conseqüentes e defendermos o que pensamos nom seja criminalizado e castigado".

A entidade acaba afirmando que "expressa com força e ánimo, sem medos nem complexos, que nom recuaremos, nom daremos passo nengum que nom seja em direcçom à emancipaçom da juventude trabalhadora galega".

 

:: Outras informaçons sobre o mesmo tema

BRIGA informa sobre acusaçons aos três militantes que ontem ficárom em liberdade (+...)

Berta Lopes fica livre com cargos após 24 horas no quartel da Guarda Civil (+...)

Continua campanha repressiva: quinta militante de BRIGA detida em 24 horas (+...)

Três militantes independentistas de BRIGA continuam presos num quartel da Guarda Civil na Corunha (+...)

Guarda Civil detém quatro militantes de BRIGA ao longo desta quarta-feira na Corunha (+...)

 

Ir ao Especial sobre o Desfile militar espanhol na Corunha

Voltar à página principal

 

 

Imagem de umha das recentes concentraçons convocadas por BRIGA na Corunha em solidariedade com @s jovens detid@s pola Guarda Civil