Homenagem à Galiza Combatente em Carral

9 de Outubro de 2005

A organizaçom soberanista e socialista galega NÓS-Unidade Popular reivindicou por quinto ano consecutivo a Galiza Combatente, desta vez ao pé do monumento aos Mártires de Carral, no centro da vila corunhesa.

Foi ontem, dia 8 de Outubro, à 1 da tarde, num acto político que começou com a oferta floral aos Mártires fusilados em 1846 em Carral. As flores fôrom depositadas no monumento por umha delegaçom da Direcçom Nacional, entre os aplausos das pessoas assistentes. A seguir, Ramiro Vidal, da Direcçom Comarcal da Corunha, dirigiu umhas palavras lembrando o significado histórico do alçamento do sector militar progressista, que marcou o início do desenvolvimento da acçom e o pensamento libertador galego no século XIX. O dirigente comarcal de NÓS-UP apelou ao carácter socialmente avançado dos alçados e à necessidade de recuperar a memória que alicerça o que hoje somos como independentistas galegos e galegas.

A seguir, Maurício Castro discursou em representaçom da Direcçom Nacional de NÓS-Unidade Popular, reivindicando o carácter luitador do movimento nacionalista e independentista galego ao longo dos últimos 159 anos, partindo precisamente da Revoluçom de 1846, e passando polos inúmeros episódios de resistência nacional e social do nosso povo até a actualidade.

O acto serviu também para apresentar a linha política que NÓS-UP desenvolverá nos próximos meses, contextualizando-a na nova situaçom criada com a mudança no Governo autónomo após as últimas Eleiçons. Maurício Castro fijo ainda referência à Tabela Reivindicativa de Mínimos para o Novo Governo Autonómico, recentemente publicada pola organizaçom independentista, e cujas 444 medidas concretas irám ser apresentadas nas próximas semanas aos diversos sectores sociais do movimento popular, bem como ao próprio Governo do PSOE e BNG. Garantiu também que NÓS-UP nom reduzirá a sua acçom a posiçons "principistas e puristas", fazendo propostas concretas e abrindo-se à colaboraçom com os movimentos sociais para enriquecer a citada Tabela Reivindicativa.

A jornada patriótica completou-se com um jantar de confraternizaçom num restaurante da vila de Carral. Os discursos e outras informaçons e imagens deste Dia da Galiza Combatente podem ser consultados no web nacional de NÓS-UP.

Cabe salientar o controlo a que a Guarda Civil submeteu em todo o momento o desenvolvimento do acto político independentista. O contínuo assédio e pressom policial sobre as actividades legais de umha organizaçom política legalizada como NÓS-UP deixam em evidência o carácter de "democracia vigiada" do regime espanhol vigorante na Galiza desde a morte do ditador e a imposiçom da Constituiçom monárquica espanhola de 1978.

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

NÓS-Unidade Popular convoca Dia da Galiza Combatente com um acto político em Carral (+...)

 

Voltar à página principal

 

 

Instantánea do discurso de Maurício Castro
Vista parcial d@s assistentes ao acto político de NÓS-UP em Carral com motivo do Dia da Galiza Combatente
Imagem da oferta floral de NÓS-Unidade Popular ao pé do monumento aos "Mártires da Liberdade", numha praça do centro da vila de Carral, na comarca da Corunha