Centenas de pessoas secundam mobilizaçons contra as detençons de independentistas

16 de Novembro de 2005

Vigo, Corunha e Compostela fôrom cenário de três mobilizaçons convocadas por CEIVAR em solidariedade com @s dez independentistas detid@s ontem pola Guarda Civil em diferentes cidades galegas.

A concentraçom de Vigo tivo lugar anteontem diante do MARCO com assistência de 25 pessoas. Ontem, no Obelisco da Corunha, participárom à volta de 70. Porém, a mais numerosa decorreu na capital da Galiza.

Na compostelana praça do Pam, fôrom concentrando-se desde as oito da tarde dúzias de pessoas até quase atingir as 300. Durante mais de meia hora fôrom secundadas palavras de ordem contra as detençons, denunciando a repressom policial contra o independentismo, a manipulaçom dos meios de comunicaçom, contra a Polícia e a Guarda Civil, em prol da independência da Galiza, reclamando a liberdade de Ugio e Giana, em solidariedade com a AMI e BRIGA, e em apoio aos centros sociais.

Posteriormente, o porta-voz de CEIVAR intervéu denunciando a operaçom "Castiñeira" e a escassa informaçom que se dispom sobre onde e como se acham @s dez detid@s.
Logo a seguir, a concentraçom percorreu as ruas da zona velha, com paragem diante das instalaçons de El Correo Gallego, na rua Perguntoiro, onde se denunciou o papel manipulador e parapolicial que exerce este meio vinculado à extrema-direita. Na praça da Galiza, tivo lugar um corte de tránsito, finalizando a jornada de luita no Toural com o canto do Hino Nacional.

Salienta o efeito catalisador da operaçom repressiva, bem como a pluralidade das pessoas que secundárom a mobilizaçom compostelana. Além dumha nutrida presença da militáncia do MLNG, -estudantes de AGIR, jovens de BRIGA, militantes de NÓS-UP e do nosso Partido-, também acudírom quase todas as "famílias" políticas da esquerda estatal, e membros da organizaçom juvenil do autonomismo. As ausências também fôrom palpáveis.

Primeira Linha apela a secundar todas as mobilizaçons e actos de solidariedade com @s detid@s que se convoquem, exigindo mais umha vez a imediata liberdade de Maria Álvares, Joám Bagaria Frá, Maria Bagaria Frá, Alexandre Fernandes Ramos, Antom Garcia Matos, Miguel Garcia Nogales, Paulo Martearena, Hadriám Mosqueira, Maria Osório e José Viana.


Voltar à página principal