Um debate sobre o movimento normalizador encerrou as IX Jornadas Independentistas Galegas

16 de Maio de 2005

Passado já o meio-dia do passado sábado, o Centro Social Henriqueta Outeiro da capital galega acolheu um interessante debate sobre o momento actual da movimentaçom social em favor dos direitos lingüísticos na Galiza. Com participaçom de Sílvia Casal (Fundaçom Artábria), Ángelo Meraio (A Gentalha do Pichel), Miguel R. Penas (Portal Galego da Língua), Maurício Castro (NÓS-UP) e Alonso Vidal (Novas da Galiza), a jornada serviu para analisar o trabalho que em diversos campos é efectivado em defesa da língua por entidades como as citadas e outras.

Os e as participantes coincidírom na importáncia e valor das iniciativas que nos últimos anos animam umha situaçom de certa paralisia normalizadora, coincidindo com o que é o momento histórico mais difícil para a subsistência da comunidade lingüística galega. Também se concordou à hora de vincular a sorte da língua com a construçom nacional da Galiza, polo que se reivindicou a naçom como espaço referencial para a defesa do nosso direito colectivo à língua.

Com este debate, moderado polo secretário geral do nosso partido, Carlos Morais, fôrom encerradas as nonas Jornadas Independentistas Galegas, em que participárom também representantes dos movimentos normalizadores basco e catalám, e que levárom por título "Língua e construçom nacional". Estas jornadas, que o nosso partido organiza anualmente desde 1997, coincidírom desta vez num fim de semana em que se sucedêrom os eventos reivindicativos em torno do nosso idioma.

 

Voltar à página principal