Luita anticapitalista nas ruas de Edimburgo e farsa mediática no "Live 8"

6 de Julho de 2005

Milhares de manifestantes anticapitalistas das mais variadas procedências geográficas e ideológicas no ámbito da esquerda revolucionária confluírom nos últimos dias nas mobilizaçons decorridas na cidade escocesa de Edimburgo contra a reuniom do G-8. Mais de cem pessoas de diversas nacionalidades fôrom detidas polas forças repressivas que protegiam os líderes do capitalismo mundial reunidos para decidirem novas linhas de intervençom em defesa dos privilégios do capital frente à maioria mundial empobrecida.

Outras 35 pessoas fôrom atendidas em centros sanitários de ferimentos causados pola violência policial no que foi umha nova demonstraçom da resistência existente em importantes sectores populares dos países do centro capitalista contra as classes dirigentes e em solidariedade com os povos do chamado "Terceiro Mundo".

Entretanto, os mesmos organizadores dos encontros institucionais do G-8 promoviam nesta ocasiom um macroevento internacional para neutralizar a acçom anticapitalista nas ruas pola via da propaganda. O chamado "Live 8", umha série de macroconcertos em cada um dos oito países mais poderosos, apresentava umha versom dulcificada da oposiçom, em forma de caridade "aos pobres africanos". Umha grande nómina de milionários ligados ao mundo do espectáculo (músic@s e actores/actrizes, fundamentalmente) apoiárom umha iniciativa mediática sem precedentes para acalmar consciências sem questionar o fundo do mecanismo de extorsom que mantém continentes inteiros como o africano na pobreza mais extrema, ao tempo que tentavam apagar-se os ecos dos protestos de Edimburgo.

Financiado por umha série de multinacionais, quer dizer, polo grande capital directamente, os oito macroconcertos contárom com o "compromisso" de multimilionários como Elton John, Pink Floyd, Madonna, Sting, Coldplay, REM, Will Smith, Die Toten Hosen, Green Day, Roxy Music, Brian Wilson (ex líder de Beach Boys), Destiny's Child, The Dave Matthews Band, Alicia Keys, Bon Jovi, Stevie Wonder, Zucchero, Duran Duran, Pet Shop Boys... actores como Prad Pitt, Richard Gere, Will Smith... e gurus do capitalismo como o próprio Bill Gates. Faltárom "só" artistas africanos, que polos vistos nom tenhem estatura para participarem numha iniciativa elitista supostamente dirigida a ajudar os pobres desse continente.

Bob Geldof, principal promotor do "Live 8", insultou @s manifestantes anticapitalistas de Edimburgo chamando-lhes "idiotas", após terem sofrido a dura repressom da polícia nas ruas escocesas. No entanto, a inócua iniciativa de caridade musical nom conseguiu ocultar por completo a existência de milhares de trabalhadores e trabalhadoras a luitarem a sério contra as desigualdades e as suas causas reais: a subsistência do sistema capitalista mundial na sua fase imperialista.

 

Voltar à página principal