NÓS-Unidade Popular apresenta legenda de campanha e eixos programáticos para as autonómicas de Junho

25 de Maio de 2005

NÓS-UP difundiu num comunicado os eixos programáticos com que participará nas quatro circunscriçons em que a legalidade espanhola divide a Comunidade Autonóma Galega de cara às eleiçons autonómicas de 19 de Junho. Além disso, fijo pública a legenda com que sintetiza a mensagem política que irá difundir nas próximas semanas: Autodeterminaçom é democracia. Voto de esquerda pola liberdade da Galiza.

No seu comunicado, a organizaçom independentista e socialista galega ratifica que a sua intençom era apresentar umha candidatura conjunta com a FPG, na linha do necessário entendimento que a base social independentista reclama. Porém, finalmente viu-se obrigada a participar com lista própria ante a falta de disponibilidade da Frente.

Tal e como se vê na própria legenda principal da campanha, esta girará em torno da necessidade de reclamar o exercício do direito de autodeterminaçom como princípio democrático ineludível para qualquer projecto de futuro para a Galiza e o seu povo trabalhador. Neste senso, NÓS-UP descarta qualquer avanço qualitativo para o País e as suas classes populares quer ganhe o PP, quer ganhe a coligaçom PSOE-BNG, partindo da realidade dos concelhos em que uns e outros tenhem governado já nos últimos anos e no próprio consenso que abraçam as três forças institucionais em temas centrais como "a gestom neoliberal na política económica, social e ambiental", bem como "a respeito dos limites da articulaçom territorial e reforma do Estado".

Os eixos do programa apresentado por NÓS-UP assentam em nove ideias força:

·Pola Autodeterminaçom, liberdade e independência nacional
·Por umha Galiza das trabalhadoras e trabalhadores
·Pola plena igualdade entre mulheres e homens
·Poder popular. Por umha Galiza democrática
·Por umha Galiza ecológica
·Contra a repressom e o autoritarismo
·Por umha política ao serviço da juventude galega
·Contra a Guerra e o Imperialismo
·Por umha Galiza solidária e internacionalista

NÓS-Unidade Popular, em funçom das condiçons em que se realizam estas eleiçons e do próprio carácter incipiente da nova esquerda independentista galega, vinca no seu comunicado a necessidade de "reforçar um instrumento de resistência e luita que necessita Galiza e a sua classe trabalhadora", abandonando a resignaçom e a delegaçom e optando por ser protagonista e dona do seu futuro.

 

Voltar à página principal