Capitalismo real: 45 african@s mort@s num só fim de semana ao tentarem atingir a costa europeia

8 de Março de 2006

Quase nom som notícia. Provavelmente nem estejam "contad@s" nos países de origem, enquanto os estados europeus levantam vedaçons de arame farpado e condenam à morte milhares de pessoas que cada ano tentam fugir à pobreza em direcçom ao "primeiro mundo", mas o certo é que as mortes de imigrantes que tentam aceder à Europa através da fronteira com o Estado espanhol nom deixam de aumentar.

Só no último fim de semana, 45 pessoas morrêrom afogadas em naufrágios em águas do Sara Ocidental, quando as suas precárias embarcaçons naufragárom ao tentarem atingir as Canárias. 23 pessoas num dos afundamentos e 20 no outro constituem o balanço trágico de afogamentos de subsarian@s fugindo à fame e a miséria de aquilo que com tanto acerto o grupo punk "La Polla Records" baptizara já nos anos 80 como "o lado B da opulência".

A Associaçom Pró Direitos Humanos da Andaluzia (APDHA) publicou os dados das mortes de pessoas ao tentarem atravessar o Estreito em direcçom à Europa durante 2005, atingindo-se as 368, 79 mais do que no ano anterior. A principal origem conhecida das mortes é o naufrágio de embarcaçons (253), seguida pola chegada ao mar de cadáveres (62), os assaltos às vedaçons impostas nas linhas fronteiriças polas autoridades espanholas e marroquinas (16), no momento de descerem da embarcaçom (13), em desembarcos ou já à chegada à terra (12) e as tentativas de chegar à costa a nado (12).


 

Voltar à página principal