PSOE e BNG dam o voto para Fraga como senador e despedem-no com aplausos

8 de Fevereiro de 2006

O ex-ministro franquista e máximo representante da direita espanhola na Galiza durante os últimos 16 anos, Manuel Fraga, foi ovacionado ontem pol@s deputad@s da coligaçom governante na Junta actual, formada polo PSOE e o BNG. Os votos de todos eles permitiu a eleiçom do velho fascista como senador e um reconhecimento unánime perante umha trajectória marcada pola repressom e o directo envolvimento em crimes da ditadura e na aberta negaçom dos direitos nacionais e sociais da Galiza.

A presidenta do Parlamento, Dolores Villarino (PSOE) afirmou que Fraga Iribarne "pode ainda fazer muitos contributos" na sua nova etapa no Senado espanhol, reconhecendo que no Parlamento autónomo irám ter "saudades dele".

Tal como aconteceu com a decisom de aumentar os soldos dos deputados e as deputadas, os três grupos parlamentares (PP, PSOE e BNG) coincidírom novamente, agora na eleiçom de Fraga como senador. Mas isso nom foi todo. Umha unánime salva de aplausos despediu o tantas vezes declarado inimigo das liberdades individuais e colectivas do povo galego e das suas classes populares. A total unanimidade na votaçom confirmou nom apenas a identidade de princípios entre PSOE e PP, como a incorporaçom do BNG ao coro das forças bem-comportadas, sem duvidar na hora de utilizar os votos da esquerda nacional para legitimar a história política de umha das figuras do fascismo espanhol mais odiadas polo nacionalismo e a esquerda no nosso país.

Diversos meios de comunicaçom salientárom os aplausos dedicados ao fundador do Partido Popular polo vice-presidente da Junta, Anxo Quintana, e polo porta-voz do grupo parlamentar do BNG, Carlos Aymerich, enquanto outros como Bieito Lobeira se conformárom com o essencial: a emissom do voto favorável que legitima o retiro dourado de Fraga Iribarne em Madrid como senador. O apoio do BNG, impensável há poucos anos, representa um novo limite simbólico transbordado pola direcçom autonomista e centrista que marca a linha política do Bloque.

 

Voltar à página principal