Operaçom da Guarda Civil contra a esquerda independentista: confirmada montagem policial

17 de Novembro de 2005

A libertaçom sem cargos d@s dez independentistas detid@s anteontem em quatro cidades galegas acabou por deitar abaixo todo o "filme" inventado e publicado por todos os meios de comunicaçom do sistema. Um filme em que participárom televisons, rádios, jornais, partidos políticos, representantes institucionais, opinadores e comentadores vários, etc.

Afinal, demonstrou-se como válida a explicaçom dada desde o primeiro momento polo próprio independentismo através de diversos meios alternativos e organizaçons, no sentido de estarmos ante umha operaçom que procurava a criminalizaçom de todo um movimento sociopolítico da maneira mais burda e passando por cima dos mais elementares direitos civis e políticos.

Unicamente as especialíssimas condiçons em que vive o nosso país, carente de um sistema democrático com maiúsculas, possibilita que quem difama, insulta e criminaliza gratuitamente, pague, se demita ou polo menos dê umha explicaçom ou desculpa. Temos certeza de que nada disso irá acontecer, e os Sanches Bugalho, Peres Tourinho e Quintanas nem sequer farám umha rectificaçom pública das suas palavras, alentando a repressom contra dez pessoas tratadas de "terroristas" e que agora ficam livres, sem cargos, mas sem qualquer compensaçom por umha campanha de ataques abertos e alheios a qualquer presunçom de inocência.

Ficou demonstrado, mais umha vez, que contra o independentismo todo vale. A Guarda Civil, os principais dirigentes políticos e institucionais e os meios de comunicaçom orquestrárom umha vergonhosa campanha que agora ruiu como um castelo de areia, dando mais legitimidade se cabe à esquerda independentista como projecto político alternativo à podrémia institucional, capitalista e espanhola imposta actualmente à Galiza.

NÓS-UP, BRIGA e AGIR refirmam solidariedade e denunciam manipulaçom mediática e policial

NÓS-Unidade Popular emitiu um novo comunicado logo a seguir à posta em liberdade d@s dez compatriotas detidos pola Guarda civil, congratulando-se polo defecho destas negras jornadas de repressom e criminalizaçom, que no entanto tivérom o seu contraponto na positiva resposta antirrepressiva de centenas de galegos e galegas nas ruas de Compostela, Corunha e Vigo. Podes ver aqui o conteúdo do comunicado de NÓS-UP.

Também a organizaçom juvenil independentista BRIGA e a entidade estudantil da esquerda independentista AGIR emitírom comunicados solidários com @s detidos e de denúncia da repressom espanhola. O comunicado de BRIGA pode ser consultado na íntegra aqui, e o de AGIR nesta ligaçom pertencente ao seu web nacional.

De outra parte, o portal Galizalivre, que foi bloqueado nos últimos dias, volta a estar activo coincidindo com a liberdade d@s detid@s. Nom assim o web da AMI, que continua ocupado pola Guarda Civil e desactivado por esse corpo armado espanhol.

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

Centenas de pessoas secundam mobilizaçons contra as detençons de independentistas (+...)

Umha vista de olhos às reacçons mediáticas e institucionais perante as detençons de independentistas (+...)

NÓS-Unidade Popular avalia jornada repressiva de ontem, saldada com umha dezena de detençons em Lugo, Ourense, Vigo e Compostela (+...)

Centro Social O Pichel, de Compostela, denuncia "circo mediático de passa-montanhas e pistoleiros" (+...)

Confirmada detençom de oito independentistas. NÓS-UP denuncia actuaçom repressiva (+...)



Voltar à página principal

 

 

Imagem da concentraçom de anteontem em Compostela, em solidariedade com @s detid@s