As bombas de Blair

11 de Julho de 2005

Som muitas as consideraçons políticas que podem ser feitas ante o novo ataque bombista sofrido por um dos principais estados imperialistas responsáveis pola morte de milhares de inocentes e a destruiçom de países inteiros como o Iraque. Um ataque múltiplo, o do passado dia 7 de Julho contra o metro e um autocarro, em que podem ter morrido quase 100 pessoas, segundo os últimos cálculos.

No entanto, umha das mais chamativas conclusons que podem ser tiradas é o diferente tratamento informativo da carnificina da capital británica e aquelas que diariamente acontecem no Iraque e o Afeganistám, por só citar aqueles em que o próprio Estado imperialista británico está directamente envolvido.

Só uns dias antes dos ataques londrinos, um B-52 ianque atacou "por erro" umha moradia camponesa na província afegá de Kunar, matando quase vinte pessoas. Nom foi nengumha excepçom, dentro da actividade de promoçom do terror que nom deixa de fazer crescer a listagem de inocentes mort@s sob o fogo norte-americano e británico. Os media ocidentais quase nem informam de todas essas acçons terroristas protagonizadas polos exércitos de ambos estados, enquanto umha acçom similar acontecida no coraçom da City londrina provoca um terramoto político, mediático e de dor humana teledirigida de grandes dimensons.

Hoje mesmo soubemos da morte de nove operários da construçom iraquianos, asfixiados em Bagdad numha carrinha de detençom das forças de ocupaçom, acusadas de "laços com a resistência" e após terem permanecido fechados mais de 14 horas no interior do veículo a altíssimas temperaturas e terem sofrido torturas.

De Primeira Linha, aproveitamos esta ocasiom para lembrar mais umha vez o que os grandes media esquecem: a tragédia quotidiana que ianques e británicos continuam a provocar nos povos afegao e iraquiano, e aderimos às vozes resistentes que exigem a imediata retirada das tropas imperialistas e a devoluçom da soberania nacional a ambos povos.

Como escreveu nestes dias o realizador de cinema inglês e militante anti-imperialista John Pilger, "estas som as bombas de Blair".

 

Voltar à página principal

 

 

Imagem do autocarro esventrado por umha bomba no centro de Londres
Meninho iraquiano recupera objectos pessoais das ruínas da sua casa, destruída polas bombas imperialistas
Umha das poucas imagens publicadas das vítimas dos ataques contra o centro da capital británica no passado dia 7 de Julho