Cruzes fascistas pintadas de cor-de-rosa em Neda e Fene

23 de Dezembro de 2005

Dentro da campanha nacional que NÓS-Unidade Popular desenvolve contra a permanência de símbolos do franquismo na Galiza, um grupo de independentistas pintou completamente de cor-de-rosa dous monumentos em pedra nos concelhos trasanqueses de Neda e Fene.

Aconteceu na manhá de hoje, e os alvos fôrom duas "cruzes dos caídos". A primeira acha-se no concelho de Neda, e inclui umha legenda de exaltaçom da "cruzada" fascista iniciada em 1936. A Polícia local nedense, Cámara municipal governada polo PSOE e IU em coligaçom, dirigiu-se ao local para identificar as pessoas que participavam no acto de desagravo antifascista. Dá-se a circunstáncia de que IU reclamou em dias passados a retirada de símbolos fascistas de Ferrol, a seguir às iniciativas de NÓS-UP nessa cidade, mas umha Cámara que co-governa, como a de Neda, continua a exibir "cruzes dos caídos" como a pintada hoje por NÓS-UP.

Em Fene, concelho governado polo BNG, a cruz pintada por membros de NÓS-Unidade Popular acha-se no adro de umha igreja, e inclui um jugo e umhas flechas falangistas e o escudo franquista. Nos web nacional de NÓS-UP pode ver-se umha reportagem gráfica das duas acçons, que fam parte da campanha que a organizaçom da esquerda independentista vem desenvolvendo nos últimos meses sob o título "Símbologia fascista, fora da Galiza. Higiene, justiça e dignidade democrática".

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

NÓS-UP denuncia permanência de monólito franquista na Corunha (+...)

NÓS-Unidade Popular elimina directamente diversas placas fascistas das ruas de Ponte Areas e as Neves (+...)

Dirigentes de NÓS-UP detidos em Ferrol ficárom livres com cargos (+...)

Pintam de cor-de-rosa a casa natal de Franco e eliminam placa de mármore com o seu retrato da fachada. Quatro detidos (+...)

 

Voltar à página principal

 

 

Imagem da "cruz dos caídos" de Fene, durante a pintagem de cor-de-rosa nesta mesma manhá
Polícias locais de Neda tiram fotos da "cruz dos caídos" de Neda, após terem identificado as pessoas que participárom no acto de desagravo