Terrorismo de estado: Israel assalta ilegalmente prisom palestiniana com o aval ianque e da Uniom Europeia

15 de Março de 2006

O Exército israelita voltou a dar mostras da terrível impunidade com que espezinha o direito internacional e as leis regionais quando o Estado sionista julga apropriado "dar umha liçom" ao povo palestiniano. A prisom de Jericó, sob administraçom da Autoridade Nacional Palestiniana, foi finalmente destruída num ataque militar que causou ao menos duas mortes e numerosas detençons.

A escusa declarada foi "deter" Ahmed Saadat, líder da Frente Popular para a Libertaçom da Palestina (FPLP), e outros militantes dessa organizaçom marxista de libertaçom nacional, presos já em Jericó, acusados da morte de um ministro israelita, acontecida num ataque da resistência palestiniana em 2001. Os seis militantes palestinianos fôrom finalmente seqüestrados por soldados israelitas.

A mensagem da impunidade e a brutalidade foi assim mandada ao novo Governo palestiniano, junto às ameaças dos últimos dias sobre novas anexaçons de territórios, a imposiçom do muro do apartheid e a promoçom de novas colónias na Cisjordánia.

O ataque sionisa contou com a cumplicidade británica e ianque, já que os seus soldados, que custodiavam a prisom de Jericó junto à polícia palestiniana, abandonárom os postos para permitirem o assalto. O silêncio da Uniom Europeia diante desta agressom injustificável, que incluiu também o bombardeamento aéreo do Norte da Faixa de Gaza, soma-se à passividade russa e da própria ONU, além do envolvimento dos EUA em apoio ao terrorismo de estado israelita.

Familiares de pres@s polític@s palestinian@s no cárcere de Jericó emitírom um comunicado apelando à comunidade internacional para que detivesse a actuaçom do Governo presidido por Ehud Olmert. Queremos daqui contribuir, modestamente, para romper o cerco informativo sobre a resistência palestiniana, difundindo o conteúdo integral traduzido para a nossa língua:

Apelo urgente: a vida dos prisioneiros palestinianos em Jericó é responsabilidade da comunidade internacional

Nós, as famílias dos Palestinos Prisioneiros no cárcere de Jericó, fazemos-vos um apelo para que sejam empreendidas acçons imediatas para salvar as vidas que estám a ser bombardeadas por forças do Exército israelita.

Urgimos-vos a requerer ao Exército israelita que imediatamente cesse o fogo sobre eles, pois já há vítimas. Este ataque é contra todas as leis e acordos internacionais.

Solicitamos a imediata protecçom dos nosso pais, maridos, filhos e irmaos que estám a ser assassinados perante os olhos do mundo enquanto estám em prisom.

As Famílias dos Palestinianos Prisioneiros no Cárcere de Jericó 14/03/2006.

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

Estado sionista anuncia novas anexaçons de territórios palestinianos (+...)

Palestina: "a história é a favor dos pequenos" (+...)

«Nunca digas "nunca Hamas"» (+...)

 

 

Voltar à página principal

 

 

Detidos palestinianos fôrom obrigados a ficar em cuecas antes de serem conduzidos à esquadras israelitas, durante a operaçom ilegal do Exército sionista