Camionista morre nas obras do porto exterior da Corunha

20 de Julho de 2005

Um camionista de 60 anos, natural de Mugia, é a última vítima da insegurança no trabalho na Galiza. Com mais de vinte anos de experiência em obras portuárias, levava meses trabalhando para Equicons S.L. Segundo os seus companheiros, nom era a Vítor Manuel Martins Alvarelhos que correspondia trabalhar no recheio que acabou por ceder abaixo das rodas do seu camiom, fazendo-o cair ao mar, onde o trabalhador e a máquina desaparecêrom.

O acidente aconteceu na Ponta Lagosteira, Arteijo (comarca da Corunha), nas obras do chamado porto exterior corunhês. Testemunhas presenciais qualificavam ontem de "vergonhoso" que a empresa responsável polos trabalhos permitisse realizar trabalhos semelhantes numha zona que se encontrava em condiçons de segurança muito precárias. A zona em que aconteceu a tragédia era umha passagem estreita e deteriorada pola circulaçom de camions e a acçom das ondas, que finalmente nom pudo com as 16 toneladas de peso do camiom que Vítor Manuel Martins guiava.

O resgate foi impossível e no momento em que redigimos esta informaçom ainda nom apareceu o corpo do operário falecido. Como sempre nestes casos, as notícias publicadas nos diversos meios galegos excluem qualquer referência à necessidade de exigir responsabilidades a uns empresários que nem sequer se dignárom a dar explicaçons sobre as circunstáncias em que o trabalhador morreu. Todo indica que a impunidade voltará a cobrir com um manto de silêncio as responsabilidades por um novo morto em acidente laboral.

 

Voltar à página principal

 

 

Vista do local em que se produziu a queda ao mar do camiom guiado polo trabalhador de Equicons S.L.