Polícia federal ianque mata a tiros líder independentista porto-riquenho

26 de Setembro de 2005

O povo de Porto Rico chora a morte do líder independentista Filiberto Ojeda Ríos, atingido por disparos do FBI num operativo desenvolvido no oeste da ilha para capturar o velho patriota porto-riquenho, de 72 anos e procurado polas forças repressivas norte-americanas desde a sua fugida em 1990.

Todos os grupos e sectores independentistas e revolucionários de Porto Rico denunciárom a caça ao homem sofrida por Ojeda Ríos, que acabou por morrer desangrado, encurralado no interior de umha casa por efectivos da Polícia Federal ianque, depois de que um franco-atirador lhe desse um tiro no peito.

Ojeda Ríos, fundador do Exército Popular Boricua, conhecidos como "Los Macheteros", era o porto-riquenho mais procurado pola Justiça norte-americana desde que em 1990 conseguiu libertar-se de um grilhom electrónico preso ao tornozelo com que era permanentemente vigiado, à espera de julgamento acusado de um roubo para financiar a luita pola independência da ilha. Filiberto Ojeda deixou o grilhom à porta de um jornal independentista e passou à clandestinidade em que já ficou até o momento da sua morte. O Governo federal oferecia meio milhom de dólares a quem desse informaçons que permitissem apanhar o patriota porto-riquenho.

O assassinato do líder porto-riqueno coincidiu com umha data patriótica de grande significado, o Grito de Lares, em que se comemora a tentativa soberanista de 1868, quando 400 patriotas iniciárom umha insurreiçom contra Espanha na cidade de Lares, estabelecendo um Governo revolucionário que acabaria por ser derrotado polo exército colonial espanhol.

Inclusive os políticos institucionais pró-norte-americanos pedírom explicaçons sobre a morte de Ojeda Ríos, abandonado durante 20 horas com feridas mortais polas forças policiais ianques até morrer desangrado.

O movimento independentista e socialista porto-riquenho saiu às ruas numha espontánea homenagem ao luitador pola independência e o socialismo de Porto Rico, colónia espanhola durante mais de 400 anos até que em 1898 foi ocupada polos Estados Unidos. Em 1952 obtivo um estatuto de autonomia que a define como "Estado Livre Associado", situaçom rejeitada polo movimento pró-independência da ilha.

Pola nossa parte, transmitimos o nosso pesar pola morte do patriota Ojeda Ríos ao heróico povo porto-riquenho, assim como toda a nossa solidariedade e simpatia com a sua luita pola independência e o socialismo.

 

Voltar à página principal

 

 

Militante independentista porto-riquenho nas mobilizaçons de protesto polo assassinato de Ojeda Ríos
Imagem de arquivo de Filiberto Ojeda Ríos, patriota porto-riquenho assassinado polas forças repressivas de ocupaçom ianque