Instituiçons penitenciárias punem preso galego em Navalcarnero

4 de Novembro de 2005

A entidade antirrepressiva Ceivar denunciou nas últimas semanas as contínuas medidas punitivas com que as autoridades penitenciárias espanholas estám a dificultar as condiçons de internamento de Ugio Caamanho, preso galego a centenas de quilómetros da Galiza, na prisom madrilena de Navalcarnero.

Em concreto, a última medida repressiva aplicada ao jovem preso foi o isolamento total durante 144 horas, que se acrescentam aos 30 dias pendentes de aplicaçom pola participaçom de Ugio Caamanho em acçons reivindicativas dos direitos das pessoas presas na citada cadeia.

Tanto Ugio Caamanho como Giana Rodrigues tenhem sido vítimas nestes três primeiros meses de reclusom de arbitrárias medidas repressivas que deixam em evidência como o sistema carcerário espanhol vai muito para além de privar de liberdade as pessoas, acrescentando-lhes puniçons nom previstas na condena (que neste caso nem sequer existe, ao serem amb@s pres@s preventiv@s), a começar polo afastamento do país de origem de amb@s pres@s galeg@s.


Voltar à página principal