Povo quebequês prepara-se para o terceiro referendo de autodeterminaçom desde 1980

1 de Novembro de 2005

Em pleno debate territorial no Estado espanhol, que inclui a perseguiçom e criminalizaçom dos movimentos soberanistas, outros estados lidam com os direitos nacionais em termos mais democráticos, perguntando directamente aos povos. É o caso do Canadá em relaçom ao povo quebequês, que foi já consultado por duas vezes, em 1980 e 1995, e poderia estar prestes a viver um novo referendo em que decida o seu estatuto jurídico-político consoante o princípio de autodeterminaçom, previsto polo direito internacional.

O Partido Quebequês (Parti Quebequois), um dos dous principais partidos do Quebeque, de orientaçom social-democrata, defende a conveniência de um terceiro referendo que confirme a tendência do voto independentista, em alta desde 1980. Naquela ocasiom, o voto pola secessom atingiu os 40,5%. Quinze anos depois, em 1995, o sim à independência subiu para 49,4%. Desde pouco depois dessa segunda consulta, realizada com o Partido Quebequês no poder, o anti-independentista e direitista Partido Liberal (Parti Liberal du Québéc) governa o país, atravessando as posiçons soberanistas umha crise já superada, situando-se hoje a vontade independentista à frente da federalista em todos os inquéritos.

O Estado canadiano tentou desde a última convocatória colocar algumha dificuldade ao movimento soberanista quebequês, através da chamada "Lei da Clareza", mediante a qual pretende elevar o patamar mínimo para dar por válida umha votaçom favorável à independência. Mas esse patamar nom foi ainda concretizado, e as forças independentistas, maioritárias e de carácter progressista (quer reformista, quer revolucionárias), preparam-se já para a próxima convocatória de um plebiscito que acabe por dar ao povo quebequês a plena soberania, anelada polo movimento nacionalista desde que em 1867 o Canadá se independizou do império británico e o único território francófono da Norte-América ficou submetido à soberania do novo Estado.

O Quebeque é hoje umha naçom formada por mais de 7 milhons de habitantes, dos quais 6 milhons som de fala francesa, ao contrário que os restantes territórios que integram o Canadá, maioritariamente anglófonos. A chamada "Carta da Língua Francesa" é o documento legal que desde 1977 defende os direitos lingüísticos quebequeses face à histórica minorizaçom imposta polo Estado canadiano, que actualmente se organiza numha estrutura federal. O progressivo crescimento da consciência nacional e a vontade independentista quebequesa, ligada à relativa toleráncia estatal face às suas aspiraçons nacionais, fai prever que em breve prazo o povo do Quebeque poda vir finalmente a conquistar a sua independência nacional de maneira pacífica mediante a consulta em referendo.

 

Voltar à página principal

 

 

Independentistas quebequeses durante a campanha do referendo de 1995, em que só 54.000 votos de diferença impedírom a sua secessom do Canadá