NÓS-UP difunde documento de análise sobre a repressom na Galiza

6 de Maio de 2005

Coincidindo com a vaga repressiva que se estende nos últimos meses e abrange um amplo leque de sectores sociais galegos, NÓS-UP publica no último número da sua revista Voz Própria um extenso dossier sobre a repressom no nosso país.

Além de poder ser adquirido como parte integrante do número 11 da revista editada pola organizaçom unitária da nossa esquerda independentista, o dossier é disponibilizado gratuitamente no web de NÓS-Unidade Popular em formato PDF.

Eis o índice de conteúdos do trabalho, que leva por título "A repressom na Galiza de hoje":

1. Introduçom

2. Questons genéricas sobre a repressom na Galiza

2.1. Os meios de legitimaçom

2.2. O controlo social

2.3. A vigiláncia selectiva nom policial

2.4. A repressom policial

3. Repressom e sociedade galega

3.1 Factores históricos

3.2. Espanholizaçom ideológica e cultural

3.3. Manipulaçom informativa e valores dominantes

3.4. Expansom da doutrina da Segurança Cidadá

3.5. Extensom do controlo e vigiláncia sociais

3.6. Situaçom do mercado laboral

3.7. Prisionizaçom da pobreza

3.8. Judicializaçom do protesto social

4. A presença de forças policiais e militares de ocupaçom na Galiza

4.1. Polícia espanhola

4.2. 60% da populaçom da CAG encontra-se sob a autoridade da Guarda Civil

4.3. Umha Polícia autonómica sem competências supeditada aos corpos repressivos espanhóis

4.4. A Uniom Europeia reforça e legitima a repressom na Galiza

5. Repressom específica contra o independentismo galego

5.1. A Acçom policial preventiva

5.2. A repressom económica

5.3. Perseguiçom da actividade política legal e implicaçom dos governos locais

5.4. Repressom da mocidade

5.5. Repressom laboral

5.6. Emprego da violência policial

5.7. Colaboracionismo do autonomismo na repressom

5.8. Efeitos políticos, organizativos e psicológicos da repressom de 1988-1991 e permanência de pres@s nos cárceres

6. O que fazer frente à repressom

6.1. Fomentar a identidade nacional e de classe, e a auto-organizaçom da sociedade galega

6.2. Reforçamento do MLNG e enraizamento social

6.3. Revalorizaçom do factor subjectivo

6.4. Especializaçom organizativa e solidariedade

6.5. Denúncia pública da repressom

6.6. Maduraçom colectiva frente ao facto repressivo

6.7. Rompimento da normalidade democrática

6.8. Obstaculizar e boicotar todas as formas de vigiláncia policiais e extra-policiais

6.9. Desnormalizaçom da presença de agentes da repressom

6.10. Identificaçom do papel político dos media.

 

Voltar à página principal