Filóloga espanholfalante ligada ao Centro Ramom Pinheiro, nova secretária geral da Política Lingüística

15 de Setembro de 2005

Segundo acabou de ser feito público, a Junta da Galiza conta já com nova secretária geral da Política Lingüística. Quase dous meses depois da chegada ao poder autonómico de PSOE e BNG, continuava vago um posto de tanto relevo para a acçom de governo em matéria normalizadora como esse. Agora soubemos que a substituta de Gonçales Moreiras será a filóloga Marisol Lopes, ligada aos estudos de espanhol e integrante da equipa do catedrático de Espanhol e membro da Real Academia Espanhola (RAE) Guillermo Rojo.

A nova secretária geral, espanholfalante habitual sem relaçons conhecidas com o mundo da sociolingüística ou a planificaçom lingüística, desenvolveu o seu trabalho nos últimos anos no Centro Ramom Pinheiro para a Investigaçom de Humanidades, organismo criado em 1993 pola Junta do Partido Popular como "alternativa" ao Instituto da Língua Galega (ILG), para a recepçom de milionárias quantidades dedicadas a eruditas pesquisas de duvidoso interesse científico e social. O sector mais espanholista e isolacionista do próprio ILG passaria a fazer parte do novo organismo, com Constantino Garcia e Manuel Gonçales Gonçales à cabeça, e contra o critério doutros membros do citado Instituto dialectológico, que a partir desse momento passárom a questionar abertamente a política lingüística e cultural da Junta da Galiza.

Marisol Lopes fai parte do grupo de docentes provenientes da área do Espanhol e/ou abertamente isolacionistas que nestes anos engrossárom as fileiras do Centro Ramom Pinheiro, participando em diversos projectos de investigaçom com essa marcada orientaçom.

Um dado significativo do processo de nomeaçom da nova secretária geral da Política Lingüística é que fora vetada há duas semanas polo BNG para ocupar o posto a que agora acede. A sua admissom no dia de hoje acompanha-se, isso sim, de um amanho polo qual se cria umha comissom assessora em que se integram duas peças do BNG: Alberte Ansede, ex-presidente da AS-PG, secretário comarcal do BNG na Corunha e dirigente da UPG; e o vereador da Cámara Municipal de Compostela e membro da Direcçom de Esquerda Nacionalista Manuel Portas. Pertencentes a diferentes "famílias" do BNG, ambos se tenhem caracterizado nos últimos anos polo seu sectarismo partidista nos postos de responsabilidade que ocupárom, com especial beligeráncia para com sectores galeguizadores nom controlados polo BNG.

Lembremos ainda que a Secretaria Geral da Política Lingüística está adscrita à Presidência. Nada boas as perspectivas que se enxergam para o nosso idioma, mas será sobre factos concretos da acçom de governo que deveremos julgar o que a partir de agora acontecer...

Para já, hoje mesmo tivemos ocasiom de ver novamente, no Telejornal da TVG, a amiga de Marisol Lopes e conselheira da Educaçom, Laura Sánchez Piñón, depondo ante as cámaras e jornalistas em perfeito espanhol.

 

Voltar à página principal