Obreiro de umha empresa auxiliar de Meirama morre no posto de trabalho

4 de Março de 2006

Um obreiro faleceu na tarde de ontem quando desenvolvia labores de manutençom na Central Térmica de Meirama. O operário, de 46 anos, trabalhava para a empresa auxiliar Atefrisa. A morte produziu-se ao cair de umha altura de 22 metros, sabendo-se já que caminhava sobre o teito da sala de caldeiras sem nengumha sujeiçom ou medida de segurança.

Representantes sindicais já acusárom a empresa auxiliar e a própria Central Térmica de "clara negligência", pondo em dúvida que o falecido tivesse a formaçom necessária para desenvolver trabalhos de risco como o que lhe custou a vida.

O Comité de Empresa de Meirama convocou um paro para o meio-dia em relaçom com a morte do companheiro, exigindo que seja cumprida a Lei de Prevençom de Riscos Laborais, cujo incumprimento por parte das empresas "tem que ser paga com sangue polos trabalhadores", segundo afirmou um representante sindical. Esta morte acrescenta-se a umha lista que nom deixa de aumentar, sem que as autoridades tomem medidas para além dos pésames de rigor.

 

:: Mais informaçom sobre o mesmo tema

NÓS-UP reclama medidas concretas e urgentes para reduzir a sinistralidade laboral (+...)

Centenas de pessoas manifestam-se após a morte de um jovem operário num estaleiro de Marim (+...)

Pressons operárias obrigam a paralisar obras do porto exterior corunhês (+...)

Outros dous trabalhadores mortos e o anunciado "plano de choque" contra os sinistros laborais continua sem ser apresentado (+...)

Sinistralidade laboral voltou a aumentar na Galiza em 2005 (+...)

Acidente laboral mortal na Pastoriça (+...)

Grave acidente laboral em pleno centro de Vigo (+...)

Primeiro operário morto no trabalho em 2006 (+...)

Camionista morre nas obras do porto exterior da Corunha (+...)

 

Voltar à página principal