Junta actual ratifica aposta turistificadora do PP

27 de Janeiro de 2006

O presidente da actual Junta da Galiza, Emilio Peres Tourinho, garantiu o empenhamento do governo que preside para fazer da turistificaçom "o motor da economia galega". Para tal, tenciona convocar empresários, sindicatos e administraçons e assinar um "grande pacto" polo turismo, que de facto já está a reflectir-se em numerosos projectos urbanísticos e infraestruturas como os 17 campos de golfe ou os novos 24 portos desportivos previstos, numha agressom generalizada ao território que nom olha a meios para atingir os seus fins.

Praias, espaços protegidos e o litoral em geral sofrem cada vez mais as feridas dessa "reorientaçom" da política económica na Galiza, que substitui a já escassa industrializaçom anterior por umha terciarizaçom total da economia já iniciada na etapa de governo do Partido Popular.

Com grandes palavras como "modernizaçom", "qualidade" ou "excelência", Tourinho anunciou em Madrid a aprovaçom de umha nova Lei de Turismo da Galiza, como quadro normativo para a agressiva e maciça estratégia turística nos próximos anos.

Salientam a este respeito dados como a multiplicaçom da habitaçom no litoral galego destinada a acolher até sete milhons de turistas, face aos quatro actuais. Portos desportivos, urbanizaçons, campos de golfe e outros empreendimenos de grande custo ambiental completam umha estratégia que transformará o litoral galego, tornando-o cada vez mais parecido com as mais degradadas áreas turísticas mediterránicas.

De facto, a especulaçom imobiliária selvagem é já um facto um pouco por todo o litoral da Galiza, nomeadamente em áreas das Rias Baixas, mas nom só.

Entretanto, também o conselheiro da Indústria e o Turismo, Fernando Branco, manifestou aos meios de comunicaçom a aposta do seu departamento polo turismo como substituto de umha economia produtiva que esmorece por conseqüência das directrizes do capitalismo espanhol e da UE. Após gabar as actuaçons da Junta anterior no sector turístico, o conselheiro do BNG confirmou novas actuaçons urbanísticas e mais turistificaçom, enfeitando, isso sim, a proposta com referências a umhas abstractas "qualidade" e "planificaçom" que só se concretizam numha paisagem natural e socioeconómica cada vez mais desfigurada.

 

Voltar à página principal

 

 

Tourinho na Feira Internacional do Turismo, em Madrid (Espanha)