Vigo: Jovem agredido é acusado de agressom e burocratas sindicais prometem exercer labores policiais em futuras mobilizaçons

 

1 de Maio de 2005

A organizaçom juvenil independentista BRIGA informa no seu web de que o militante detido nesta manhá durante a manifestaçom do 1º de Maio em Vigo continua na esquadra policial da cidade, acusado de agressom à Polícia, apesar de as imagens difundidas já na Internet demonstrarem exactamente o contrário: foi ele o agredido por elementos policiais.

Estamos ante umha sistemática prática da Polícia, que quando realiza detençons deste tipo costuma adiantar-se na acusaçom contra a pessoa detida, em concreto com infúndios como a "resistência" ou o "atentado" à autoridade. No caso do militante independentista Sérgio Pinheiro, a violenta detençom ficou registada polas cámaras, e a própria BRIGA informa no seu web de que Sérgio andava a tirar fotos do cortejo independentista quando foi assaltado e espancado por efectivos policiais.

Entretanto, representantes da burocracia sindical ligados à direcçom da CIG continuam a realizar declaraçons dignas do mais podre colaboracionismo com as forças repressivas. A última, garantindo que em próximas convocatórias da CIG se estabelecerám «serviços de ordem, que impidam que este tipo de grupúsculos detestáveis se refugiem entre os nacionalistas democratas, para levar a cabo as suas malfeitorias». Por incrível que pareça, o burocrata que realizou esta declaraçom nom se referia à Polícia espanhola, mas às jovens aos jovens obreiros integrados no movimento independentista galego e filiados à central nacionalista.

 

Voltar à página principal

 

 

O jovem militante independentista que jaz sob as botas da Polícia é acusado de ser ele próprio o agressor, e continua detido na esquadra policial viguesa