NÓS-UP apoia mobilizaçons da CIG para o 1º de Maio

27 de Abril de 2006

NÓS-Unidade Popular fijo público um comunicado com motivo da proximidade do Dia do Internacionalismo Proletário, o 1º de Maio, apoiando as oito manifestaçons da CIG noutros tantos pontos da Galiza. A central nacionalista convoca a classe trabalhadora galega sob a legenda "Galiza Naçom. Soberania", em Compostela, Corunha, Ferrol, Lugo, Ourense, Ponte Vedra, Vigo e Lourençá, entre o meio-dia e o meio-dia e meio segundo cada convocatória.

NÓS-UP emitiu também um texto em que analisa o contexto deste novo 1º de Maio no nosso país, "às portas de umha nova reforma laboral que pretende flexibilizar e desregularizar ainda mais o mercado laboral, facilitando assim o despedimento, potencializando os contratos lixo, promocionando as ETT´s, privatizando os serviços públicos e concedendo mais isençons e facilidades fiscais à burguesia".

A organizaçom soberanista e socialista galega denuncia o pacto a que estám a chegar o PSOE, a CEOE, CCOO e UGT, num processo que se desenvolve "entre um grande secretismo e os termos definitivos desta nova agressom contra a classe obreira nom se darám a conhecer até as vindouras semanas".

Alertando sobre os contínuos retrocessos pola ofensiva capitalista e o "entreguismo" dos sectores maioritários da esquerda reformista, a divisom e fragmentaçom conduzírom à desmobilizaçom, o que para NÓS-UP tem levado a umha "derrota subjectiva" e à "delegaçom dos nossos interesses na pequena burguesia e nos projectos político-eleitorais interclassistas".

NÓS-UP sublinha que "sem umha classe obreira forte e bem organizada, continuaremos a padecer mais precariedade e sinistralidade laboral, baixos salários, emigraçom, incremento da exploraçom, pobreza e exclusom social, e progressiva perda das conquistas atingidas".

Daí que reclame que "a classe obreira galega, mais numerosa do que nunca, tem que acordar do seu sono, abandonar o delegacionismo, despreender-se das corruptas e mafiosas burocracias sindicais, e passar à ofensiva". O comunicado da organizaçom política da esquerda independentista inclui também umha referência à reforma estatutária em curso, lembrando a necessidade de "participar de forma activa, com voz própria, no debate estatutário, desmascarando a nova fraude do actual processo, defendendo o direito de autodeterminaçom para assim podermos construir umha Galiza soberana a partir da esquerda e ao serviço exclusivo do povo trabalhador".

Podes ler na íntegra o comunicado de NÓS-Unidade Popular no seu web nacional.

 

 

Voltar à página principal