Bases Democráticas Galegas continuam campanha pola autodeterminaçom

11 de Maio de 2006

As Bases Democráticas Galegas, organismo suprapartidário que trabalha polo reconhecimento de umha tabela de seis pontos mínimos para a democratizaçom da Galiza, continua com a sua campanha de resposta ao processo de reforma estatutária em curso. O eixo da campanha é a autodeterminaçom como direito irrenunciável face à farsa autonomista, incluindo actos públicos, murais e outras iniciativas.

Depois do acto do dia 5 em Ponte Vedra, há umha série de debates públicos agendados para o mês actual pola entidade, em Ponte Areas, Ferrol, Ribadávia e Vilar de Santos:

Ponte Areas. 12 de Maio. Centro social Baiuca Vermelha às 20:30h. Participam: Luís Pardo, Manrique Fernandez (jornalista), Bráulio Amaro (coordenador das BDG) e Domingos Antom (Professor de filosofia).

Ferrol. 19 de Maio, Ateneu de Ferrol às 20.30 horas. Participam: André Seoane, Xesus López Pintos (Secretário Comarcal da CIG).

Ribadávia. 19 de Maio, local social Arrincadeira às 20 horas. Participa: Braúlio Amaro.

Vilar de Santos. 26 de Maio, Casa da Cultura às 20 horas. Participa: Braúlio Amaro.

Mais informaçons sobre a campanha e as actividades das Bases Democráticas Galegas podem ser consultadas no seu web.

Foi dele que retiramos a tabela fundamental das Bases. Eis os seis princípios por que as Bases trabalham:

BASES DEMOCRÁTICAS GALEGAS

1- Galiza é umha naçom. Tem direito ao exercício de autodeterminaçom.

2- O povo galego e Galiza som o único sujeito e ámbito soberano de decisom .

3- Democracia real e participativa. Cessamento do recorte das liberdades.

4- Plena normalizaçom do galego como língua própria da Galiza.

5- Marco galego de relaçons laborais ..

6- A naçom galega nom se cinge exclusivamente ao território actual da CAG.

 

Voltar à página principal