PP nom deu silenciado a memória antifascista na Caniça

11 de Agosto de 2006

A Praça Maior da capital da comarca da Paradanta congregou mais de 150 pessoas para homenagear quatro militantes e dirigentes socialistas da localidade, fusilados em Outubro de 1936.

Tal como já informáramos há uns dias, César Mera, actual presidente da Cámara da Caniça e senador do PP, e ex-presidente da Deputaçom Provincial de Ponte Vedra, tentou evitar a realizaçom desta acto de desagravo e homenagem a tod@s @s vizinh@s fusilad@s e represaliad@s polo fascismo, entre elas a única mulher que em 1936 ocupava a máxima representaçom municipal na Galiza.


Perante a impossibilidade "legal" de impedir o acto, o PP alterou o programa das festas, organizando na mesma hora e no mesmo lugar um acto infantil com presença de palhassos. A extrema-direita local representada polo PP utilizou as crianças para evitar a homenagem.

Esta finalmente realizou-se com mais dumha hora de atraso. Embora também intervinhesse o dirigente local do PSOE, num exercício de patético cinismo e hipocrisia, o peso do acto recaiu nos familiares dos fusilados que intervinhérom numha emotiva lembrança e homenagem setenta anos depois.

A esquerda independentista participou activamente, enquadrando a homenagem sob parámetros nacionias frente a hegemónica visom do republicanismo estatal.

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

PP pretende evitar homenagem a antifascistas da Caniça. (+...)

70 anos depois, Parlamento europeu condena golpe de Estado franquista, com a oposiçom do PP. (+...)

 

Voltar à página principal

 

 

Numeros@s veteran@s luitadores/as participárom na homenagem, vencendo as dificuldades colocadas polo PP
As vítimas da repressom franquista tivérom a sua homenagem na Caniça apesar das pressons do PP
Vista parcial da praça em que decorreu o acto de memória do antifascismo