Chávez reivindica "o caminho do socialismo" e chama a derrotar "os direitistas, pró-capitalistas e imperialistas"

6 de Maio de 2006

O processo revolucionário venezuelano, posto em andamento com a chegada ao poder de Hugo Chávez em 1999, continua a dar passos que o aproximam da via socialista, como querendo ultrapassar o carácter anti-imperialista ("bolivariano") com que foi iniciado.

A convocatória eleitoral para a presidência, prevista para Dezembro deste mesmo ano, é encarada polo líder bolivariano com vontade de fortalecer "o novo projecto nacional baseado no bolivarianismo e no socialismo". Chávez afirmou que "polo caminho do socialismo pode recuperar-se a humanidade, enquanto com o capitalismo, onde o comércio predomina, há umha ameaça de dar cabo do mundo".

A Venezuela revolucionária nom deixa de dar passos à frente em política social, de saúde, educativa, cultural e de solidariedade internacionalista, com o olhar posto na integraçom continental indo-americana e face ao imperialismo norte-americano. Isso explica a crescente agressividade e ameaças ianques ao povo que nesta altura lidera, junto a Cuba, a oposiçom à sua hegemonia continental.

"Quer haja candidato opositor, quer nom, nós os revolucionários, patriotas e socialistas venceremos por nock out os direitistas, pró-capitalistas e imperialistas; a nossa campanha arranca em Agosto", assegurou o presidente venezuelano perante o processo de eleiçom presidencial previsto para o próximo mês de Dezembro.

Debate sobre a orientaçom revolucionária nas bases

Em relaçom com a questom da natureza do processo revolucionário venezuelano, e como mostra do debate social existente sobre o mesmo, reproduzimos a seguir um interessante artigo de actualidade publicado numha das numerosas publicaçons autogeridas por organismos populares que funcionam na base social venezuelana.

Independentemente do seu valor como contributo téorico, achamos significativo comprovar o debate existente nas bases revolucionárias sobre a maneira de avançar no processo de construçom do socialismo na Venezuela.

O original (em espanhol) pode ser lido no web da publicaçom, "Voz del Barrio", da capital, Caracas:

 

A Revoluçom Bolivariana tenciona transitar de umha economia de mercado com estruturas burguesas para umha sociedade socialista do século XXI

O centro de gravidade deste processo é o desenvolvimento democrático latino-americano e a defesa estratégica da Doutrina Monroe, com forças colaterais a avançar na preparaçom da civilizaçom socialista.

Se este Novo Projecto Histórico encabeçado por Hugo Chávez triunfar nesta fase de transiçom, nom só é de interesse regional, mas universal, as experiências respectivas da época moderna junto à compreensom científica do status que nos permitem prever o desenlace do projecto bolivariano-socialsita com considerável probabilidade.

Nos últimos 250 anos, tem havido um processo de transiçom civil triunfante e dous fracassados. As transformaçons bem sucedidas fôrom as da burguesia, que arrebatou o poder ao sistema feudal, notavelmente nas revoluçons inglesa, francesa (jacobinos) e estado-unidense. As experiências fracassadas dérom-se nas transiçons socialistas da Uniom Soviética e China.

As derrotas socialistas acontecêrom na fase intermédia de transiçom para o poscapitalismo. Em todo processo de transiçom distinguem-se três fases: a tomada do poder da classe nascente, a construçom do novo Estado e as instituiçons e o desenlace do projecto a longo prazo.

As forças socialistas fôrom exitosas na primeira fase, mas falhárom na segunda e a nom querer que este padrom de triunfo-fracasso se dê na Venezuela, devem ser tomadas as medidas quanto às estruturas do Estado, pois continuam a ser aquelas estruturas burguesas contra as quais temos luitado historicamente, e parecem fortalecer-se cada vez mais, centralizando todo o poder, mesmo quando o dever ser de um verdadeiro Estado é que o poder esteja maciçamente no povo.

A tarefa económica da Revoluçom Bolivariana nom consiste em ultrapassar os níveis produtivos do capitalismo com as suas profundas facetas de exploraçom brutal burguesa. Trata-se é de atingir níveis de produtividade razoável e sustentável, orientado nos estándares mundiais aproveitando os avanços tecnológicos para reduzir gradualmente a taxa de mais-trabalho com o objectivo de libertar o produtor directo.

Nengum projecto de construçom do socialismo que descura os elementos integrais será consolidada como civilizaçom alterna à burguesia. Embora poda ser mantido por certo tempo no poder, geralmente sob a conduçom de líderes excepcionais, e construir um poder inexpugnável, como foi o caso da Uniom Soviética, involucionará inevitavelmente para o passado e terminará a médio prazo na economica de mercado.

Os regimes burgueses consolidárom-se face à contrarrevoluçom feudal, porque o modo de produçom nascente e o seu projecto histórico superestrutural coincidírom. Os projectos de Lenine e Mao fracassárom, porque nom se conseguiu estabelecer um modo de produçom socialista.

 

 

Voltar à página principal