Emerge ponta do icebergue da trama de corrupçom tecida polo PP nas instituiçons públicas

21 de Maio de 2006

A detençom de nove pessoas acusadas de estarem envolvidas numha rede de adjudicaçom irregular de obras e cobrança de comissons na Deputaçom de Lugo deixa entrever o que era um segredo a vozes: a enorme rede de corrupçom tecida por Cacharro Pardo e o PP durante anos à frente da citada instituiçon provincial.

Desvio de fundos públicos e subornos som as principais acusaçons, junto à falsidade documental, prevaricaçom e tráfego de influências. O presidente da Deputaçom saiu logo em defesa dos corruptos, falando de "manobra política" do PSOE como explicaçom para o espectacular operativo policial da passada quinta-feira.

Polos vistos, numerosa documentaçom prova o pagamento de comissons pola concessom de obras públicas, via habitual utilizada por grandes construtoras para financiar os partidos do sistema em troca dos favores no reparto do bolo imobiliário e das obras públicas.

Por enquanto, as pessoas acusadas nom vam a prisom graças ao pagamento de milionárias cauçons. É o caso do actual chefe do serviço de vias e obras da Deputaçom, Alberto Fernandes Pereira, e do seu antecessor no cargo, José Manuel Romai, bem como do delineante da Deputaçom, José Antonio Lázare, o proprietário de umha empresa de sinalizaçom viária, Amadeo Garcia Dias e um engenheiro a soldo de um escritório técnico que trabalha para o organismo provincial, de nome José Enrique Cacicedo.

No entanto, o máximo responsável político pola rede de corrupçom, Cacharro Pardo, está a ficar à margem das detençons após 23 anos à frente de umha Deputaçom conhecida em Lugo e na Galiza toda polo nepotismo e corruptelas permanentes promovidas polo chefe de filas do PP na província.

A evidente falta de divisom de poderes no Estado espanhol, onde os partidos dam forma aos organismos judiciários e nomeiam fiscais ao serviço das siglas governantes, explica que durante décadas o PP tenha recorrido a práticas corruptas generalizadas com total impunidade, só agora começando a sair à luz de maneira parcial e "controlada" umha pequena parte das práticas da direita espanhola, em funçom dos interesses partidistas da nova maioria governante e nom de umha verdadeira regeneraçom democrática.

 

Voltar à página principal