Fala Ceive pede apio para reclamar protecçom ao galego na reforma estatutária de Castela e Leom

19 de Setembro de 2006

A Associaçom Cultural do Berzo Fala Ceive difundiu um escrito dirigido a todo o tipo de entidades da Galiza para reivindicar "mais reconhecimento legal para o galego no Berzo e a Alta Seabra", comarcas em que os direitos lingüísticos galegos estám abaixo dos mínimos necessários para garantir a subsistência da nossa língua.

Seguindo o seu pedido, reproduzimos na íntegra o escrito remetido pola entidade berziana.

Pedido de ajuda para um maior reconhecimento estatutário do galego

Fala Ceive do Bierzo

A Associaçom Cultural Fala Ceive do Bierzo, dirige-se à cidadania do Bierzo e do conjunto da Galiza como pedido de ajunda para demandar perante as Cortes de Castela e Leom umha maior protecçom da língua galega na reforma do Estatuto de Autonomia desta Comunidade Autónoma. Pretendemos mais reconhecimento legal para o galego do Berzo e a Alta Seabra, que permita a necessária normalizaçom lingüística destes dous territórios. Neste sentido, a declaraçom de oficialidade do galego deve ter lugar no devandito Estauto de Autonomia, o qual permitiria o uso administrativo deste idioma nas instituiçons públicas. Alem do mais, é legítimo e justo que todas as comunidades galego-falantes do noroeste peninsular (Comunidade Autónoma Galega, o Berzo, a Alta Seabra, e o Návia-Eu), tenham reconhecidos iguais direitos lingüísticos, para salvar as dicriminaçons que sofrem os e as habitantes dos três territórios estremeiros com idioma galego sem declaraçom de oficialidade.

Fala Ceive lembra que já a pressom social e política tivo os seus resultados positivos em 1998, quando se conseguiu a inclusom da língua galega no actual Estatuto de Autonomia de Castela e Leom, que ficou recolhida da seguinte forma: “Gozarán de respeto y protección la lengua gallega y las modalidades lingüísticas en los lugares en que habitualmente se utilicen” (artigo 4.2). Agora temos que exigir umha redacçom alternativa que melhore a protecçom do galego com um novo artigo. Esta actual conjuntura política de reforma estatutária deve ser aproveitada pola cidadania para participar activamente, mediante a oferta de propostas favoráveis ao reconhecimento de mais direitos, caso dos lingüísticos. Estamos perante umha oportunidade histórica para conseguirmos umha maior protecçom legal do idioma galego que precisa da mobilizaçom social e política. E isto é assim poque cremos firmemente que, no fundo deste debate político, está em jogo a própria existência futura do galego, tanto no Berzo como na Alta Seabra.

Fala Ceive anima de novo a cidadania do Berzo e, especialmente, a da Comunidade Autónoma Galega, as suas instituiçons (Parlamento, Junta, Conselhos da Cultura Galega, Universidades, etc.), os partidos políticos, sindicatos, associaçons (culturais, juvenis, etc.), os meios de comunicaçom e demais para que remesem as suas cartas e declaraçons oficiais à Comissom de Reforma do Estatuto de Autonomia das Cortes de Castela e Leom (www.ccyl.es), em demanda de umha maior protecçom legal para a língua galega do Berzo e a Alta Seabra. Os escritos dirigirám-se à “Comissom de reforma do Estatuto de Autonomia, Cortes de Castilla y León. 47194 Fuensaldaña”. As ditas cartas, deverám chegar ao seu destino antes de 29 de Novembro de 2006, data em que se aprovará definitivamente o Estatuto polo pleno das Cortes de Castela e Leom.

Muito obrigados a todos e todas pola vossa ajuda solidária!

Ponferrada, Setembro de 2006.

Xabier Lago Mestre, Pte. de Fala Ceive do Berzo.

Tfno. 695344293 (tardes)

http://www.ciberirmandade.org/falaceive

http://obierzoceibe.blogspot.com

 

 

Voltar à página principal