Foro das Bases convocou sectores soberanistas na capital galega

5 de Junho de 2006

Tal como anunciamos na última semana, sábado foi a data escolhida polas Bases Democráticas Galegas para reunir em Compostela diversos representantes do mundo académico e político para analisar as experiências estatutárias de 36 e 81, bem como para tratar numha mesa redonda com representantes dos movimentos sociais galegos a reforma estatutária em curso na actualidade.

As Bases, contrárias a umha reforma que se limite ao estreito debate institucional e exclua o reconhecimento do direito de autodeterminaçom, convocárom o foro do dia 3 de Junho como parte de umha campanha nacional pola autodeterminaçom e "contra o Estatuto", tentando implicar o movimento popular galego frente a um processo que ameaça com deixar o nosso país amarrado a Espanha mediante acordos entre os partidos do sistema, com o intuito nom ocultado de garantirem a estabilidade institucional da segunda restauraçom bourbónica por outros 25 anos.

A primeira mesa de debate decorreu de manhá, com presença de Isaac Dias Pardo, Avelino Pousa Antelo e Xusto Gonçales Beramendi. Destacou a lúcida análise deste último quanto ao papel do nacionalismo galego na aprovaçom do Estatuto de 1936.

Na segunda mesa, também de manhá, intervinhérom Camilo Nogueira e Xesus Veiga, que apresentárom um olhar em primeira pessoa do processo da deficitária aprovaçom do Estatuto de 81, rejeitado na altura pola maior parte do nacionalismo galego, incluídos os sectores do mesmo que hoje constituem a direcçom do BNG, que aposta num novo Estatuto sujeito às normas do constitucionalismo espanhol.

Já à tarde, Pedro Alonso (ambientalista), Bráulio Amaro (coordenador das Bases), Celso Comesanha (activista vicinal), Antón Dobao (activista cultural), Domingos Antom Garcia (professor de filosofia) e Lauroa Ogando (militante feminista), debatêrom sobre os défices da actual reforma institucional, incidindo na necessidade de reinvidicarmos um processo democrático baseado no exercício do direito de autodeterminaçom.

Há que dar os parabéns aos companheiros e companheiras das Bases Democráticas Galegas, que com iniciativas como a deste sábado abrem o debate sobre os direitos nacionais da Galiza para além de espartilhos estatutários como os que PP, PSOE e BNG querem impor ao nosso povo.

 

.: Galeria de imagens do Foro A reforma estatutária a debate:.

 

Duas vistas parciais do debate da tarde, sobre o processo de reforma estatutária actualmente em curso na instituiçom autonómica Vista da mesa dedicada ao Estatuto de 1981
Avelino Pousa Antelo, participante no debate sobre o Estatuto de 1936 Isaac Dias Pardo expujo a sua visom sobre o significado do Estatuto de 36 Xusto Gonçales Beramendi apresentou umha análise histórica da posiçom nacionalista na aprovaçom do primeiro Estatuto de Autonomia da Galiza

 

 

Voltar à página principal