Guantanamo: três suicídios após mais de 100 tentativas no campo de concentraçom ianque

11 de Junho de 2006

O advogado de David Hicks, o único australiano detido em Guantanamo (Cuba), afirmou que nos últimos anos já houvo mais de 100 tentativas de suicídio entre os prisioneiros desse campo de concentraçom norte-americano. Fora de qualquer controlo ou garantia legal, em Guantánamo vem praticando-se a tortura permanente contra centenas de de tidos que nem sabem de que som concretamente acusados, sem que até hoje tenha havido um só julgamento desde a abertura em 2002.

Dous presos de quem só sabemos a nacionalidade (dous sauditas e um iemenita) aparecêrom enforcados nas celas, no que parecem ser três suicídios de quem, em palavras do citado advogado, "encaram o suicídio como única saída". As autoridades imperialistas, responsáveis pola integridade dos detidos, limitárom-se a afirmar que se trata de "actos de guerra" dos prisioneiros.

A dimensom das 100 tentativas que aludimos toma a sua autêntica dimensom tendo em conta que o número total de seqüestrados em Guantánamo é de 460. Isto significa que 21.7% dos prisioneiros tentárom já suicidar-se, o que dá ideia das condiçons de internamento que sofrem.

Entretanto, os organismos internacionais continuam sem mexer um dedo perante a estratégia genocida e ilegal dos EUA para a imposiçom do seu sistema de dominaçom aos povos do mundo.

 

 

Voltar à página principal