NÓS-UP pede ao Governo bipartido a eliminaçom do feriado da "Hispanidad"

12 de Outubro de 2006

Coincidindo com o feriado espanhol "de la Hispanidad", a formaçom da esquerda independentista NÓS-Unidade Popular reclamou a eliminaçom de umha suposta festa "com origem na ideia do império espanhol em que “nom se punha o sol”, incluindo as colónias americanas em que os eufemisticamente chamados “descobridores” protagonizárom um dos maiores genocídios da história".

NÓS-UP lembra a relaçom estreita entre o "Dia de la Hispanidad" e o franquismo, que reforçou durante décadas "a ideia racista e profundamente reaccionária do 12 de Outubro". A sua permanência como feriado obrigatório em naçons sem Estado como a Galiza após a imposiçom da Constituiçom de 1978 simboliza, em palavras da organizaçom soberanista, "a continuidade da ideologia imperialista na II Restauraçom Bourbónica".

Por isso, NÓS-UP propom às forças que governam a Junta da Galiza "um pronunciamento contrário ao “Dia de la Hispanidad” e as medidas necessárias para que deixe de ser incluído entre as datas feriadas do calendário galego".

Exibiçom da força armada espanhola em Madrid

Mais um ano, a oligarquia espanhol aproveitou a festa espanholista por excelência para exibir, nesta mesma manhá em Madrid, o poderio bélico e reivindicar o intervencionismo além das fronteiras, ao mesmo tempo que é reafirmada a funçom "constitucional" do exército como braço armado do imperialismo capitalista que dá sentido ao projecto nacional espanhol.

Como curiosidade do dia, a bandeira ianque recuperou lugar de destaque no desfile castrense madrileno, encenando a volta ao rego das forças satélites bem-comportadas do Governo espanhol, como força auxiliar do imperialismo norte-americano.

 

Voltar à página principal