Ilha de Sam Simom: NÓS-UP estivo presente na homenagem nacional às vítimas do franquismo

24 de Julho de 2006

A Ilha de Sam Simom, convertida em campo de concentraçom polos fascistas em 1936, acolheu ontem umha homenagem às vítimas da repressom na Galiza, com participaçom de centenas de pessoas provenientes dos mais diversos pontos do País, para reivindicarem a memória do extermínio.

A nossa esquerda independentista estivo representada no acto por um grupo de integrantes de NÓS-Unidade Popular, que despregárom umha faixa alusiva à campanha nacional contra os símbolos fascistas que permanecen em espaços públicos da Galiza devido à falta de compromisso das instituiçons públicas. Podes ver a crónica e umha galeria de imagens sobre o acto no web da formaçom independentista e socialista galega.

Outras correntes da esquerda social, incluídas vítimas directas e familiares de outras assassinadas polo fascismo em 1936 ou durante as quatro décadas que se seguírom de ditadura militar, marcárom presença na Ilha de Sam Simom ao meio-dia. Marivi Vila Verde, Isaac Dias Pardo, Severino Domingues e Concha Nogueira apresentárom o relato das suas lembranças da repressom franquista, remontando a 70 anos atrás, no momento em que a barbárie fascista se desatou contra milhares de galegos e galegas.

Umha placa comemorativa foi descoberta na Ilha, encerrando-se o acto com a interpretaçom do Hino Nacional com punhos e cravos vermelhos em alto reivindicando a República Galega que, sete décadas depois, ainda está por conquistar.

 

 

Voltar à página principal