Política florestal: NÓS-UP volta a reclamar medidas concretas à Conselharia do Meio Rural

5 de Setembro de 2006

A organizaçom independentista e socialista galega NÓS-Unidade Popular fijo público um terceiro comunicado em relaçom com a crise socioambiental vivida na Galiza no passado mês de Agosto, insistindo na necessidade de que se produzam mudanças nas políticas que atingem ao monte galego, "a grande matéria pendente" da Conselharia do Meio Rural, afirma a organizaçom política da esquerda independentista.

NÓS-UP começa afirmando que já todo o mundo reconhece as carências da resposta do Governo aos fogos de Agosto, incluído o conselheiro do ramo, Alfredo Soares Canal, que anunciou mudanças para a luita contra os incêndios, depois de que à chegada ao seu novo posto institucional dixesse que os dispositivos previstos polo PP eram óptimos e nom deviam ser alterados.

No entanto, para a formaçom soberanista galega, a chave está antes na "ruptura com as políticas florestais do Partido Popular", acrescentando as propostas concretas que já há um ano fôrom apresentadas por NÓS-UP ao Governo actual, tais como a criaçom de um serviço florestal permanente; as medidas legislativas para evitar os ataques ao património ambiental por parte dos agentes económicos que se lucram deles; a eliminaçom paulatina de espécies florestais alheias e a reintroduçom das frondosas autóctones, bem como de umha indústria acorde com essa orientaçom no sector.

NÓS-Unidade Popular critica a escassa concreçom das medidas anunciadas pola Conselharia do Meio Rural, que só explicitou a vontade de incrementar a presença policial. Finalmente, a formaçom independentista reafirma a sua intençom de continuar a fazer oposiçom nacional e de esquerda à linha "autonomista e neoliberal" que segue o actual governo da Junta da Galiza.

Pode-se ler o artigo na íntegra no web nacional de NÓS-UP.

 

 

Voltar à página principal