Novas iniciativas reivindicam a memória antifascista galega

24 de Agosto de 2006

Um pouco por toda a Galiza, continuam a realizar-se actos muito diversos, mas unidos polo objectivo comum de servirem para recuperar a memória e reivindicar a geraçom de galegos e galegas que foi mutilada polas armas do golpismo espanhol. Já informamos dos actos desenvolvidos pola Revira em Ponte Vedra e anteriormente por familiares e amizades de represaliad@s na Caniça e antes na ilha de Sam Simom, entre outros.

Agora em Trasancos...

Na comarca de Trasancos, a comissom "A Nossa Memória" dedica nestes dias três jornadas a lembrar o massacre provocado polos franquistas na comarca, nomeadamente entre 1936 e 1939, mas nom só. Depois de que ontem mesmo, no cais de Corujeiras, fossem apresentadas testemunhas vivas da repressom, hoje serám descobertas placas em lembrança das pessoas represaliadas nos cemitérios de Canido e Serantes, onde centenas de trasanquesas e trasanqueses caírom fusilados polos militares e falangistas espanhóis.

Quanto a essa homenagem NÓS-UP denunciou a negativa da diocese católica de Mondonhedo-Ferrol a ceder os terrenos dos citados cemitérios para a colocaçom das placas, alegando falta de "neutralidade" dos actos do Ano da Memória. A organizaçom independentista e socialista lembrou em comunicado o histórico compromisso da Igreja Católica com o golpismo e com o regime criminal chefiado polo assassino General Franco.

Também no castelo de Sam Filipe, na ria de Ferrol, outro dos locais significados polos fusilamentos em massa em 1936, será colocada umha placa para recordar as pessoas represaliadas durante a ditadura.

...no Condado...

Mas Trasancos nom é o único lugar em que se sucedem actos pola Memória antifascista. Nesta quinta-feira, dia 25, às 21 horas, no Restaurante Ponte Areas, acolherá um acto de homenagem sob a legenda "Ponte Areas aos mortos em defesa da liberdade", que incluirá umha palestra do guerrilheiro antifranquista Francisco Martínez López, Kiko, apresentando o seu livro Guerrilheiro contra Franco.

A seguir, decorrerá umha ceia de confraternidade aberta à participaçom popular, com um preço de 15 euros. Os passes podem ser adquiridos no Local Social Baiuca Vermelha e na Casa da Triga, em Ponte Areas.

Ambos actos som organizados pola Comissom pola Memória Histórica do 36 de Ponte Areas, que também está a difundir cartazes com a listagem de vítimas do fascismo na comarca durante o levantamento militar de 36.

... e Vigo

Em Vigo, NÓS-Unidade Popular continuou com a sua campanha de eliminaçom directa de símbolos fascistas. Umha placa com os nomes de defensores do golpe de Estado mortos que presidia a fachada da igreja no bairro popular de Bouças foi retirado e esnaquiçado. A organizaçom soberanista galega voltou a denunciar a passividade das instituiçons municipais e autonómica perante a permanência da iconografia fascista em espaços e prédios públicos, inclusive oficiais, do nosso país, segundo informa no seu web nacional.

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

Revira percorre principais espaços da repressom fascista em Ponte Vedra. (+...)

PP nom deu silenciado a memória antifascista na Caniça. (+...)

Centro Social A Revira reivindica memória histórica em Ponte Vedra. (+...)

NÓS-UP pinta de cor-de-rosa símbolos franquistas em Mondariz e Mondariz Balneário. (+...)

PP pretende evitar homenagem a antifascistas da Caniça. (+...)

Ilha de Sam Simom: NÓS-UP estivo presente na homenagem nacional às vítimas do franquismo. (+...)

 

Voltar à página principal

 

 

Cartaz com a lista de assassinados entre os anos 1936 e 1939 em Ponte Areas, difundida pola Comissom pola Memória Histórica do 36 de Ponte Areas. Clica em cima para a veres aumentada