Suprimida da chamada Lei da memória a recomendaçom para a retirada de símbolos franquistas

25 de Agosto de 2006

Finalmente, a conhecida como "Lei da memória", prometida polo Governo espanhol do PSOE, nom levará a recomendaçom a concelhos e comunidades autónomas sobre a retirada de símbolos do franquismo. Confirma-se assim, à baixa, o quase absoluto esvaziado de conteúdos de umha lei que nom permite a revisom de sumários contra antifranquistas durante a ditadura, nem estabelece medidas para a identificaçom dos genocidas, nem compromete qualques estudo para a localizaçom das vítimas em valas comuns.

A citada "recomendaçom", que figurava no anteprojecto, podia ter algumha utilidade -pequena, certamente, para se avançar na eliminaçom de símbolos fascistas das ruas do nosso país e também do resto do Estado. A retirada dessa recomendaçom, com a escusa de que carecia de valor jurídico, contenta o Partido Popular e confirma a falta de compromissos na reabilitaçom d@s represaliad@s polo franquismo e na limpeza do seu sinistro legado iconográfico.

Resta a discussom do texto no Congresso espanhol, antes da sua definitiva aprovaçom. No entanto, todo indica que o movimento popular galego deverá continuar a substituir a passividade institucional na retirada da simbologia fascista da Galiza, além de manter a memória do genocídio que padeceu o nosso povo.

NÓS-Unidade Popular expujo a sua posiçom sobre este anteprojecto de lei mesmo antes deste novo recuo. Podes ler o comunicado aqui.

 

 

Voltar à página principal