Polémico fim da greve do metal: à terceira foi de vez

11 de Maio de 2006

A assembleia de trabalhadores e trabalhadoras, que na manhá de hoje juntou por volta das dez mil pessoas, resolveu finalmente aceitar a proposta de acordo apresentada polos representantes sindicais, dando por concluída a greve do metal, depois de que ontem se decidisse adiar a resoluçom e hoje mesmo tivesse que repetir-se a votaçom.

Porém, a decisom nom foi, nem muito menos, unánime. De facto, os confrontos entre o sector favorável à assunçom do acordo cedido polos empresários e o partidário de continuar a luita fôrom constantes durante umha assembleia em que a votaçom tivo que ser repetida. Os trabalhadores mais novos e submetidos a umha maior exploraçom fôrom os mais frontalmente opostos a um acordo que fica longe da tabela reivindicativa com que a greve foi convocada.

De facto, nem o aumento das retribuiçons, nem a reduçom da precariedade incluída no acordo assinado polos sindicatos, correspondem com as exigências operárias. Por mais que o patronato tenha vendido a mensagem publicitária de que fijo umha "grande cessom" durante as negociaçons, o certo é que só se conseguírom alguns dos objectivos da tabela reivindicativa. Mas eram muitos os trabalhadores e trabalhadoras que acreditavam na posssibilidade de atingir mais objectivos estendendo a luita, pondo como exemplo o objectivo de atingir daqui a 2008 os 75% de emprego estável, quando o acordo assinado rebaixou a percentagem para 50%.

Importantes sectores presentes na assembleia questionárom o papel dos sindicatos e as pressons para que fosse aprovado o acordo, bem como a falta de debate existente.
Afinal, umha apertada maioria apoiou a proposta sindical, o que pom fim à greve do sector metalúrgico que se prolongou durante a última semana no sul da Galiza.

Paralisaçom nos centros de ensino

Os centros de ensino médio e universitário aderírom na jornada de hoje solidariamente à causa operária, quando estava ainda por decidir o futuro da luita. Piquetes de estudantes, com participaçom da entidade independentista AGIR, percorrêrom os principais centros de ensino da cidade de Vigo convocando e informando sobre a jornada de luita, secundada pola maioria d@s estudantes.

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

Democracia obreira nom ratificou acordo (+...)

Empresários de Ponte Vedra reclamam mais repressom policial (+...)

Vigo: a polícia dos patrons, contra o povo trabalhador (+...)

O "sindicalismo moderno" na greve do metal (+...)

Greve do metal estende-se, nível de luita aumenta (+...)

Sector do metal vai à greve no Sul da Galiza (+...)

 

 

Voltar à página principal

 

 

O carácter multitudinário e combativo das mobilizaçons nom corresponde com os escassos objectivos atingidos, segundo alguns sectores envolvidos na luita da última semana