17.000 soldados norte-americanos mutilados na guerra imperialista contra o Iraque

31 de Março de 2006

A presença de 130.000 soldados na permanente agressom contra o povo iraquiano iniciada há três anos, que já fijo por volta das 40.000 vítimas civis e mais de 2.300 soldados ianques mortos desde o início da Guerra, tem outros dados significativos que os media ao serviço da classe dominante estado-unidense tentam ocultar.

É o caso dos mais de 17.000 soldados estado-unidenses mutilados em conseqüência das acçons da resistência patriótica iraquiana que defende a soberania e dignidade do país. Além disso, 3.200 jovens soldados sofrêrom lesons na cabeça, incluídos danos cerebrais permanentes, o que obrigará a um atendimento médico para o resto da vida deles, o que se traduz numhas despesas entre 600.000 e 5.000.000 de dólares por pessoa.

Todo isso num país, os EUA, em que um sector muito importante da populaçom carece dos mais mínimos serviços de saúde e educaçom ou vive directamente na pobreza. A aventura ianque no Iraque, impulsionada pola alta burguesia para manter o ritmo de espoliaçom energética e o poderio geoestratégico e militar no mundo, custará nom menos de um biliom e vinte e seis milhons de dólares, a um ritmo de gasto de seis mil milhons de dólares mensais em reforçar a maquinaria militar e manter o ritmo da guerra contra o povo iraquiano.

As provas das conseqüências que para a tropa ianque está a ter a agressom imperialista podem ser consultadas neste web, em que se mostram dúzias de fotografias de militares mutilados por acçons da resistência patriótica iraquiana.

 

 

Voltar à página principal

 

 

Os media aliados da Administraçom ianque tentam ocultá-lo, mas existem meios alternativos que já difundem as imagens dos soldados mutilados pola guerra