AGIR alerta contra o retorno à segregaçom sexual nos centros de ensino

12 de Setembro de 2006

A entidade estudantil independentista AGIR alerta no seu web sobre umha recente sentença do Supremo Tribunal espanhol em relaçom a umha denúncia feita pola UGT em Castela-A Mancha, pola opçom de alguns centros de ensino privado em favor da segregaçom do alunado por sexos.

O referido organismo judicial admite essa prática sectária que cada vez é mais aplicada por centros de ensino, nomeadamente religiosos ou controlados pola seita Opus Dei, que tanto proliferam no ámbito privado na Galiza. AGIR considera esse facto como mais um sintoma das tendências que se seguem no Estado espanhol em matéria de ensino: privatizaçons, presença crescente do poder económico na orientaçom dos centros (nomeadamente universitários) e agora admissom de medidas sexistas que julgávamos superadas.

AGIR lembra que "nos últimos tempos se estám a tirar do prelo pretenciosas análises pseudo-científicas que, por riba do direito das crianças a serem educadas na interelaçom com companheir@s de qualquer sexo, procedência e capacidades, impelem as autoridades educativas a recuperar "velhas tradiçons" que, supostamente, melhoram o "rendimento escolar".

 

Voltar à página principal