Trabalhadores do litoral corunhês mobilizam-se para denunciar a destruiçom do seu meio de vida

6 de Junho de 2006

A comissom de atingid@s pola construçom do porto exterior da Corunha mobiliza-se nestes dias para chamar a atençom sobre a destruiçom do seu meio de vida como conseqüência das obras do litoral, cujo impacto ambiental e sociolaboral nom compensa umhas vantagens que quase ninguém enxerga.

Percebeir@se marinheir@s de litoral levam meses reivindicando respeito para o trabalho, perante o desprezo das instituiçons responsáveis por um faraónico empreendimento infraestrutural redundante a respeito do já construído a poucos quilómetros, à entrada da ria de Ferrol. O empenhamento localista de Francisco Vasques impujo um projecto de utilidade mais do que duvidosa, que por enquanto só tem servido para causar mortes entre os operários que executam as obras, para destruir a envolvente natural e o meio de vida tradicional na zona.

O colectivo de atingidos polas obras manifestou-se cortando ontem as principais vias de acesso da Corunha,, na ronda de Outeiro, na avenida de Alfonso Molina, na avenida de Fisterra e na avenida de Arteixo. A queima de pneus cortou o tránsito e criou um importante caos circulatório, enquanto se desenvolvia umha concentraçom em frente à Cámara Municipal corunhesa, convocada pola Comisssom de Afectad@s polas Obras do Porto Exterior.

Mais de 150 pessoas vem-se directamente prejudicadas polas obras, sem que a instituiçom municipal e a Autoridade Portuária demonstrem a mais mínima consideraçom polos efeitos que as obras produzem nesses trabalhadores e trabalhadoras, bem como nas suas famílias. Daí que o colectivo anunciasse que as mobilizaçons e pressom social vai continuar.

 

Voltar à página principal