BRIGA manifesta solidariedade à juventude explorada no sector do telemarketing

31 de Julho de 2006

A Corunha vive desde há cinco meses um conflito laboral que ameaça com deixar na rua 230 empregados e empregadas do sector do telemarketing, em concreto sob a direcçom empresarial de Jazztel, sem que os sindicatos envolvidos tenham mexido até hoje um dedo em defesa dos jovens atingidos.

Jazztel pretende levar para a Argentina os postos destruídos na cidade galega, para assim impor condiçons laborais ainda mais draconianas das que já vem impondo no nosso país, num sector caracterizado pola intensa precarizaçom.

A empresa Teleperformance, auxiliar de Jazztel, já despediu nestes meses, progressivamente, os 75% do quadro de pessoal anterior, enquanto os últimos 25% vem também ameaçados os seus direitos adquiridos graças a anos de trabalho no sector. Também a empresa Stream prepara umha deslocalizaçom em massa que pode afectar até 700 obreir@s do mesmo sector, igualmente dependente de Jazztel.

Nos dous casos, UGT e CCOO pactuárom com a direcçom o avanço do precesso de destruiçom de empregos, e só a autoorganizaçom à margem dos sindicatos por parte dos respectivos quadros de pessoal está a fazer frente a esta nova agressom fruto do neoliberalismo selvagem que vivemos na Galiza.

A organizaçom juvenil independentista BRIGA informa no seu web dos pormenores do conflito, manifestando o seu apoio à luita das jovens e os jovens precárizados no sector do telemarketing.

 

 

Voltar à página principal