Municipais '07: Haverá candidatura soberanista e de esquerda em Vigo

15 de Setembro de 2006

Diversas correntes da esquerda soberanista anunciárom ontem o acordo para a apresentaçom de umha candidatura nas Eleiçons municipais do próximo ano na cidade de Vigo. Umha conferência de imprensa e concentraçom de simpatizantes na praça da Vila da cidade olívica serviu de apresentaçom da iniciativa, tomando a palavra Lois Pérez Leira, sindicalista e dirigente da formaçom política Unidade da Esquerda Galega, e Alberte Moço, dirigente viguês de NÓS-Unidade Popular.

A candidatura levará por nome Vigo de Esquerda e aglutina sectores diversos, incluída a esquerda independentista. A seguir reproduzimos o texto de apresentaçom da candidatura, que tem como correio electrónico de contacto vigodeesquerda@gmail.com:

VIGO DE ESQUERDA. Apresentaçom da candidatura às municipais de 2007

Os sectores de esquerda nacional galega da sociedade viguesa nom contam hoje em dia com um referente político capaz de ofertar um projecto que aposte por políticas nítidamente de esquerda, polos direitos nacionais da Galiza e pola emancipaçom das mulheres. Este é o motivo fundamental do nascimento de Vigo de Esquerda: servir como espaço comum que aglutine a todo esse movimento social que hoje está orfo no plano eleitoral.

Vigo de Esquerda define-se como umha força política de esquerda soberanista, contrária ao capitalismo neoliberal e à negaçom sistemática dos direitos colectivos da nossa naçom; que luita polo socialismo e a autodeterminaçom da Galiza.

Vigo de Esquerda nom é um partido político no sentido clássico, nom é umha organizaçom fechada. Antes, é umha iniciativa que parte de diversas correntes da esquerda e que tem como objectivo dotar à sociedade viguesa do imprescindível referente eleitoral que represente às clases populares.

Vigo de Esquerda vê nos movimentos sociais e no tecido associativo (vicinal, sindical, cultural, juvenil, feminino...) o verdadeiro agente de transformaçom da sociedade; por isso subordinará o seu projecto sempre os mesmos e nutrirá-se politicamente deles.

Estes som alguns dos nossos compromissos políticos:

1. Compromisso com a classe trabalhadora: recolhemos a experiência das luitas obreiras como a do Metal. As instituiçons municipais tenhem o dever de fazer o que esteja na sua mao em apoio dos interesses obreiros.

2. Compromisso com um urbanismo pensado para a maioria social: sumamos a nossa voz à da opopsiçom popular ao PGOM.

3. Compromisso com a democracia participativa: apostamos polo control directo por parte da sociedade de aqueles aspectos mais importantes da política municipal, com a criaçom de mecanismos que permitam ao povo tomar decissons colectivas sem intermediários.

4. Compromisso com um Concelho útil e eficiente: estamos pola municipalizaçom e control popular dos serviços públicos.

5. Compromisso com o meio ambiente: a nossa ria e os espaços naturais do município devem ser protegidos de qualquer agressom, mas também devemos construir umha cidade ecológica começando por combatir os terríveis níveis de contaminaçom atmosférica e acústica.

6. Compromisso com a juventude: apostamos pola promoçom de novas formas de lezer alternativo e auto-gestionado polas moças e moços, pola atençom de todas as necessidades juvenís relacionadas com a sexualidade, pola implantaçom de um sistema público de atençom ante os problemas com as drogas, polo financiamento de planos de inserçom no mundo laboral.

 

Voltar à página principal