1º de Maio: documento conjunto das Candidaturas soberanistas de Vigo e Ponte Areas

1 de Maio de 2007

As candidaturas da esquerda soberanista em Ponte Areas e Vigo escolhêrom esta última cidade para apresentarem conjuntamente um documento em que apelam ao voto obreiro nas eleiçons municipais de 27 de Maio, para fazer frente "aos de sempre". Achamos relevante reproduzir na íntegra o texto conjunto dos companheiros e companheiras de Vigo e Ponte Areas.

1º de Maio: Aos de sempre nunca mais. SOM TODOS IGUAIS

É suicida que a classe trabalhadora galega siga emprestando o seu voto às mesmas forças políticas que eleiçom após eleiçom incumprem o seu programa eleitoral e aplicam medidas neoliberais e governam ao exclusivo serviço do Capital.

PSOE e PP som as duas faces da mesma moeda, a da Espanha que nega o direito de autodeterminaçom e a que desregularizou o mercado laboral, impondo o despedimento livre, a precariedade laboral e o desemprego estrutural.

O BNG nom fica atrás à hora de aplicar idênticas políticas anti-sociais do PSOE e do PP: privatizando serviços públicos, adoptando medidas do agrado do grande capital, apostando por um urbanismo esbanjador do meio ambiente onde o direito a umha vivenda digna converte-se num negócio lucrativo ao serviço exclusivo da especulaçom imobiliária.

As listas das três forças políticas institucionais som semelhantes no que à sua composiçom de classe se refere. Praticamente @s trabalhadores/as nom passamos de ser um mero elemento decorativo. Som as classes médias, a pequena-burguesia funcionarial e comercial, as profissons liberais as que copam as listas do PP, PSOE e BNG.

Afortunadamente nesta ocasiom a classe operária em Ponte Areas e Vigo, as mulheres e homens que vivimos do nosso salário, que queremos umha verdadeira mudança política, nom temos porque votar com a mao tapando o nariz em profissionais da política espectáculo que só aspiram a perpetuar os seus privilégios. Temos a possibilidade de apoiar nas vindouras eleiçons municipais de 27 de Maio a candidaturas genuinamente operárias que garantirám que os prováveis governos de “esquerda” apliquem umha política de esquerda ao serviço da maioria social.

As candidaturas soberanistas e de esquerda de Ponte Areas e Vigo nom defraudarám à juventude, às mulheres e o conjunto da classe operária que aposta por umha mudança real.

Viva a classe operária galega!!
Contra o Capital luita operária!!

Vigo, 1º de Maio de 2007

 

Voltar à página principal