Referendo: mulheres portuguesas reclamam direito ao aborto

27 de Janeiro de 2007

Para dia 11 de Fevereiro foi convocado em Portugal um referendo para a possível despenalizaçom do aborto no país irmao. Na Galiza, entidades feministas, como a Marcha Mundial das Mulheres, e políticas como NÓS-Unidade Popular, já exprimírom apoio aos direitos das portuguesas.

A consulta aos portugueses e portuguesas refere-se à despenalizaçom do aborto durante as 10 primeiras semanas de gravidez. Na actualidade, as mulheres portuguesas enfrentam penas de três anos de prisom, caso elas resolvam abortar, o que já tem acontecido nos últimos anos nos badalados casos de Maia, Aveiro, Lisboa e Setúbal.

Um referendo anterior, em 1998, deu a vitória às forças reaccionárias, mantendo as condenas penais às mulheres perante a evidência da continuidade dos abortos clandestinos. A situaçom pode vir a mudar significativamente se finalmente o sim ganhar no próximo dia 11 de Fevereiro, desligando assim Portugal dos esstados da UE europeus que ainda rechaçam esse direito às mulheres: Chipre, Irlanda, Polónia e Malta, junto ao principado de Andorra.

De Primeira Linha, nom queremos deixar de manifestar o nosso apoio à causa das mulheres portuguesas, animando o povo trabalhador do irmao Portugal a mudar a injusta situaçom actual.

Oferecemos a seguir um vídeo explicativo da defesa do sim no referendo de dia 11, com base em 15 argumentos incontestáveis:

 

Voltar à página principal