AGIR critica falta de previsom e meios para minimizar efeitos do temporal nas infraestruturas educativas

14 de Dezembro de 2006

A entidade estudantil independentista AGIR denunciou o abandono que sofrem as infraestruturas educativas da rede pública na Galiza, após os danos provocados polas fortes chuvas e ventos das últimas semanas.

Além da falta de racionalidade na ordenaçom territorial e urbana do País, os destroços sofridos por centros de ensino em localidades como Ferrol, Vila Garcia ou Bueu deixam em evidência, segunda afirma AGIR, a falta de previsom e dotaçons de meios, servindo de "patético indicador da precariedade do sistema educativo".

O estudantado independentista e socialista insiste na reivindicaçom permanente de que se verifiquem "melhores e maiores condicionamentos para escolas infantis e de primária e secundária, principais vítimas da chuva". AGIR critica a falta de planos de contingência e as chamadas urgentes a pais e maes em plena chuvada, em lugar de actuaçons preventivas por parte da Conselharia da Educaçom, responsável pola organizaçom de operativos de emergência nesses casos.

A entidade estudantil reclama que o acontecido nom sirva para deteriorar ainda mais a Escola Pública, "num quadro de desestrutraçom irracional do território ao qual o capitalismo espanhol condena a nossa naçom".

 

Voltar à página principal