Estudantes detidos e agredidos pola polícia espanhola pedem reuniom com a reitoria da USC

1 de Dezembro de 2006

Os dous estudantes detidos e espancados pola polícia espanhola no passado dia 21 de Novembro durante umha concentraçom contra a presença de um dirigente sionista em Compostela, Iago Barros e Aurélio Lopes, solicitárom formalmente umha entrevista urgente com o reitor da Universidade de Compostela, à qual ambos pertencem.

Os dous jovens querem transmitir pessoalmente a Senén Barro, máximo representante da USC, os factos acontecidos nos dias 21 e 22 de Novembro, reclamando o apoio público do reitor, umha vez que até hoje esse apoio nom se produziu de maneira espontánea.

AGIR lembra no seu web que a reitoria compostelana denunciou no seu dia a detençom e agressom sofrida por dous estudantes do programa Erasmus na Polónia, facto que tivo importante eco nos media da Galiza, na mesma semana em que no nosso país aconteciam factos similares perante o silêncio quer da Universidade, quer dos meios de comunicaçom.

A entidade estudantil independentista, que transmite a sua solidariedade aos estudantes galegos que padecêrom abusos policiais na Polónia e às suas famílias, reclama que cesse a censura sobre o acontecido em Compostela, e haja pronunciamentos oficiais, nomeadamente da Universidade a que ambos jovens pertencem.

Toda a informaçom sobre a iniciativa pode ser consultada no web de AGIR.

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

Estudantes detidos e maltratados pola polícia espanhola apresentam testemunho escrito e provas gráficas . (+...)

AGIR dá novos dados sobre a detençom de dous estudantes (+...)

Detençons e violência policial na concentraçom popular contra a presença de um ex-ministro sionista na Galiza (+...)

 

Voltar à página principal