Centros sociais: um fenómeno em alta

14 de Março de 2007

O fenómeno dos centros ou locais sociais autogeridos a partir de parámetros galegos e à margem das instituiçons continua a marcar o avanço do fragmentado e escassamente desenvolvido movimento popular galego.

Novo centro social na Límia

A recente abertura de um novo centro social por parte da entidade juvenil limiá "Aguilhoar" só pode ser avaliada como umha boa notícia neste panorama de surgimento de espaços físicos para a construçom nacional. De carácter marcadamente político, o novo centro social vai ao encontro de toda umha rede de locais que, partindo de diversas focagens e pondo o acento quer em aspectos mais culturais, quer mais políticos,

Imagem da recente inauguraçom do novo centro social aberto em Ginzo de Límia

tenhem em comum o compromisso com a língua e a Galiza como naçom sem Estado. Os nossos parabéns, portanto, ao colectivo impulsionador deste novo espaço para a liberdade nacional e social galega.

Mais iniciativas

Em Ponte Vedra, o centro social A Revira organiza nesta sexta-feira, 16 de Março, um debate em volta do polémico tema da prostituiçom, um tema já tratado há poucas semanas no centro social Henriqueta Outeiro, de Compostela. Em Ponte Vedra, intervirám Nanina Santos, da equipa editorial da revista Andaina, e Ana Migues, presidenta do Grupo de estudos sobre a condiçom da mulher Alecrín. Será a partir das 20 horas.

Em Compostela, o C.S. Henriqueta Outeiro organiza no dia 21 deste mês umha palestra sob o atraente título de "Alexandre Fisterra: A trepidante e desconhecida biografia do inventor dos matraquilhos", contando para tal com a presença de Xurxo Souto. Será a partir das 20 horas nesse local da capital da Galiza, onde o outro centro social, O Pichel, leva já várias semanas desenvolvendo um exitoso programa de Voluntariado pola língua, com dúzias de pares de aprendentes e voluntári@s a avançar na integraçom lingüística de imigrantes.

Som só alguns exemplos da actividade que diariamente desenvolvem os locais sociais em cidades e vilas como Ferrol, Ourense, Vigo, Ponte Vedra, Compostela ou Ponte Areas, entre outras. Signo inegável dos avanços verificáveis na autoorganizaçom no seio do nosso povo.

 

Voltar à página principal