AGIR e BRIGA organizam quinta ediçom da 'Escola de Formaçom'

14 de Março de 2008

A juventude e o estudantado independentista organizam neste fim de semana a quinta ediçom da Escola de Formaçom que anualmente tem lugar em diferentes pontos do Paías desde a Primavera de 2004. Desta vez, as actividades formativas convocadas por BRIGA e AGIR decorrem na cidade de Ponte Vedra. As anteriores fôrom em Cervo, Salvaterra de Minho, Narom e Oleiros.

A Escola de Formaçom tem umha duraçom de três dias, a começar hoje mesmo, e inclui palestras, festas, músicas, jogos populares e roteiros culturais. A libertaçom sexual e a política lingüística protagonizam os conteúdos das palestras na ediçom deste ano, contando com as comunicaçons de Ángelo Meraio, Lucía Vasques Muñiz e Maurício Castro.

Recepçom e projecçom audiovisual

Na sexta-feira, representantes de BRIGA em Ponte Vedra dam as boas vindas aos e às participantes nas jornadas deste ano, após a entrega de materiais. A seguir, será projectado um vídeo sobre os cinco anos da Escola de Formaçom, para a seguir organizar-se umha ceia de confraternizaçom e umha festa.

Roteiro e palestras

Como em anos anteriores, a manhá do sábado é dedicada a um roteiro pola comarca. Já na parte da tarde, Ángelo Meraio e Lucia Vasques farám umha exposiçom sobre patriarcado, roles sexuais, homofobia e a posiçom a manter por parte de umha esquerda revolucionária em relaçom a tais desafios colocados polo capitalismo na actualidade.

Por seu turno, Maurício Castro apresentará posteriormente umha comunicaçom dedicada ao papel da língua em qualquer sociedade e as características especiais que enfrenta a nossa comunidade lingüística nesta altura histórica.

Umha ceia no Centro Social A Revira marca o fim da jornada do sábado.

Jogos populares e avaliaçom final

No domingo, após o almorço, haverá umha sessom de jogos populares. Depois do jantar, decorrerá um acto final em que serám avaliados os conteúdos e o nível da organizaçom desta nova Escola de Formaçom, que para as entidades organizadoras deverá contribuir para que "nos conheçamos, falemos, dialoguemos, discutamos, e coesionemos o projecto da esquerda independentista galega."

 

 

Voltar à página principal